terça-feira, 31 de maio de 2016

2º SALÃO DO LIVRO POLÍTICO

Na próxima quinta, dia 2 de junho, participo do 2º Salão do Livro Político, no Centro Cultural São Paulo, na rua Vergueiro, nº 1000, das 14h às 16h.

Confiram no link abaixo a programação completa:

2º Salão do Livro Político



II SALÃO DO LIVRO POLÍTICO

sexta-feira, 27 de maio de 2016

De Colônia para o mundo: as letras de Adenildo Lima

Confiram abaixo uma matéria no site: Conexão Colônia

"Escritor, poeta, professor universitário e palestrante; estas são algumas das ocupações de mais um leopoldinense de destaque: Adenildo Lima

A história não para. Quando ouvimos o hino cívico de nossa cidade exaltando seus filhos  “doutores, poetas, escritores” corremos o risco de cair no engano de achar que é só de passado que a letra fala. Na verdade, podemos nos orgulhar de outros tantos talentos contemporâneos que fazem jus à nossa tradição cultural: é o caso do escritor Adenildo Lima."




Matéria completa, acessem:


sábado, 21 de maio de 2016

II SALÃO DO LIVRO POLÍTICO

No dia 2 de junho, das 14h às 16h estarei presente, e participando, do II SALÃO DO LIVRO POLÍTICO no Centro Cultural São Paulo.

Confiram os nomes das pessoas que confirmaram suas presenças...

Acessem o link abaixo:





quarta-feira, 18 de maio de 2016

sábado, 7 de maio de 2016

Conversas com Toshiro: uma narrativa musical

No dia 5 de maio tive o prazer de assistir a um espetáculo musical de uma excelente qualidade artística: Conversas com Toshiro, do cantor, compositor e instrumentista Rodrigo Campos, acompanhado por Juçara Marçal, Na Ozzetti, Marcelo Cabral, Thiago França e Curumin, na Sala Itaú Cultural, SP.


O espetáculo Conversas com Toshiro faz menção ao álbum mais recente de Rodrigo Campos, que tem como temática o Japão; na verdade, não diria o Japão apenas, mas o ser humano de uma forma universal. Sim, universal, já que a arte é universal e não tem e nem pode ter fronteiras para ela. E isso o artista Rodrigo Campos trabalha com maestria na sua narrativa musical.

A Sala Itaú Cultural estava lotada. Os artistas, respeitosamente, adentram o palco e com plena dedicação ao público e à arte começam o Show. O público, no primeiro momento, fica abismado. E foi possível perceber a emoção no olhar de algumas pessoas: admiradas, sentindo-se contempladas com o espetáculo.

No palco a harmonia é percebível. Todos os seis artistas que compõem o espetáculo têm destaque igual. Sim, todos têm um papel fundamental que não se diferencia um do outro. Fica claro e visível para a plateia que o objetivo principal é que a arte apareça, seja o verdadeiro destaque, numa narrativa que se entrelaça por meio das letras de Rodrigo Campos, transportando o público a um cenário repleto de histórias.


E o público durante todo o Show ficou em êxtase, no término de cada canção aplaudia o espetáculo. E vamos ser sinceros, são poucos artistas que têm o privilégio de serem ovacionados pela plateia no final do espetáculo; ao contrário, Conversas com Toshiro foi aplaudido ao término de cada canção, como mencionei anteriormente, ou seja, o reconhecimento do público é a melhor resposta para todo artista que se dedica à arte e, ao meu ponto de vista, um reconhecimento digno por parte da plateia, pois o Show foi realmente encantador e emocionante.

E, por outro lado, é viável dizer que Rodrigo Campos surge na cena musical com maturidade, desde o seu primeiro álbum São Mateus não é um lugar assim tão longe, lançado em 2009, foi possível perceber que ele tinha e tem muito a oferecer. Com letras contundentes, com narrativas, que às vezes nos remetem à cronologia de uma São Paulo que não para, dava-se início com aquele álbum de estreia, um artista que, com certeza, lançaria em seguida o segundo álbum merecedor, de qualquer pessoa que preza a arte, de elogios à altura. 

E foi o que aconteceu, com o seu segundo álbum Bahia Fantástica, lançado em 2012, o artista em si, ou seja, Rodrigo Campos, mostrou claramente que tem familiaridade com o mundo da música, que tem amor ao que faz; ao procurar sempre fazer o melhor, pois a sonoridade de sua música é prazerosa aos ouvidos, e suas letras nos levam a cenários, como se estivéssemos dentro de um filme, sendo protagonistas; afinal, a vida precisa ser reinventada a cada segundo que vivemos, e a arte nessa invenção e reinvenção passa a ser a essência da nossa existência, transformando-nos um pouco mais em seres humanos.


Portanto, apreciadoras e apreciadores da boa arte, fica a dica para quem ainda não teve a oportunidade de assistir ao espetáculo Conversas com Toshiro...

Adenildo Lima

Observação: As três fotos foram retiradas da página do facebook do Itaú Cultural

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Bate-papo e sessão de autógrafos

O evento aconteceu no dia 16 de abril de 2016 na livraria da Editora FiloCzar, em São Paulo, zona Sul, com lançamento do livro "O mundo de Vinícius", bate-papo e sessão de autógrafos.





Mais fotos: No meu face

terça-feira, 3 de maio de 2016

Silêncio inesperado

Quando se ama, ame-se apenas, dizia uma frase exposta na entrada de um parque. Caio olhou, leu atenciosamente, mas não procurou entender, pois tinha acabado de sair de um relacionamento amoroso com Ana.

Ana decidiu que ia viajar, conhecer outros mundos, outras culturas e falou: Caio, nosso relacionamento termina aqui. Sim, foi assim mesmo que ela disse. E ele simplesmente ficou calado. O que dizer num momento como esse? Talvez o silêncio seja uma boa resposta.

Caio, você não vai dizer nada?, perguntou Ana, ele continuou calado. E ela tentou explicar o motivo que estava terminando o namoro. Ele ouvia atentamente, mas permanecia calado. E isso incomodou bastante a decisão dela. Fica claro que você nunca me amou!, exclamou Ana.

Ana se sentiu sozinha, sentiu-se traída diante do silêncio de Caio, gostaria de berrar na cara dele que sempre o amou, mas que precisava partir, que estava enfadada com a rotina, que não queria casar, que queria ganhar voo e sobrevoar sobre as montanhas, que queria viver outras vidas.

Mas qual o motivo que levou Ana a ficar brava diante do silêncio dele? O que ele iria falar? Pedir que ela não fosse? Dizer que ia ficar triste? O que adiantariam comentários se ela já estava decidida? Sim, é claro, ele percebeu isso, e simplesmente ficou calado. Qual o erro de ele ter ficado em silêncio?

Era tudo o que Ana queria entender. Viveram juntos três anos: passeavam, brincavam, tomavam vinho nas noites frias, se aqueciam ao fogo das lareiras, quando iam passear nas fazendas; aliás, viveram tudo harmonicamente bem, o que não quer dizer que não tenha se tornado rotina.

Sim, talvez tenha sido isso, e por isso Ana resolveu que precisava buscar outros rumos. Mas ela esperava que Caio reagisse à sua decisão, que lhe apoiasse ou a desapoiasse. E ele nada disso fez: ficou calado. E se eu desistir da viagem?, perguntou ela. Nesse momento Caio riu e, em seguida, saiu.

Ana sentiu-se só. E a solidão às vezes atormenta um pouco. Sinceramente, ela não esperava que ele aceitasse a sua decisão daquela maneira. Mas, decidida, ela partiu. Já se passaram três anos que Ana mora noutros países. E Caio como está?

Talvez ele esteja feliz por ter recebido o olhar acolhedor e sorridente de Amanda, ao entrar naquele parque, logo após ter sido deixado por Ana. Mas ele nem sabe quem é Amanda. Sabe apenas que ela é uma estudante em pleno momento de conclusão de curso.

Sim, Amanda veio sorridente ao encontro de Caio para lhe entrevistar sobre uma pesquisa para conclusão de sua graduação. E ele simplesmente respondeu à suas perguntas, e no final perguntou seu nome. Amanda, ela disse. Boa sorte com a sua futura vida de turismóloga, disse Caio. E ela riu.

E ele guardou aquele sorriso tão meigo, tão doce e tão acolhedor. Já Ana, deve estar em Portugal, na Holanda, na Noruega, ou em qualquer outro lugar do mundo.

Afinal, a vida é o que se vive, reflete Caio nos braços de Anabella, que ainda não tinha entrado na história, ou talvez estivesse refletida na face de Amanda.

Adenildo Lima

domingo, 1 de maio de 2016

Lançamento no sarau Comvida

O evento aconteceu no dia 12 de abril de 2016 no SASF II, Instituto Anchieta, Grajaú, São Paulo, com sarau, lançamento do livro "O mundo de Vinícius", e sessão de autógrafos.