sábado, 24 de novembro de 2012

diálogo sobre o amor

"pai, o senhor ama a mamãe?"
"amo, filha".
"o amor é o que, pai?"
"o amor... o amor..."
"sim, pai, o amor!"
"ah, é uma coisa boa."
"só isso?!"
"ah, é um pouco mais, filha ... é um sentimento infinito."
"o infinito fica onde?"
"ham..."
"o infinito, pai, fica onde?"
"ah, filha, fica num lugar bem longe."
"como assim...?"
"ah, filha, o infinito é algo que não tem fim."
"e isso quer dizer que o seu amor pela mamãe nunca vai acabar?"
"isso mesmo, filha, acertou!"
"ah... estranho isso..."
"estranho...?... por que, filha?"
"se nós vamos morrer, o amor não pode ser infinito."
"é que a vida é infinita enquanto percebemos a existência dela."
"nossa, pai, isso é muito confuso."
"entendo. eu também acho".

adenildo lima

Nenhum comentário: