domingo, 25 de novembro de 2012

palavras

se é uma descoberta,
não sei.
se é algo extraordinário,
também não sei.
só sei que as palavras são pessoas.
e sendo pessoas,
são como pessoas.
nelas encontramos vida,
amor, dor, emoção, sentimento...

as palavras são como lírios
no campo
ditas no olhar de cada um
através dos gestos
transmitidos pelo toque dos lábios suaves
da boca que fala.

e a boca fala com o olhar
que ama
e se ama com as palavras
com o toque
com o sentimento
e amar é tudo que sei

pois

se me odiarem
amarei apenas

e se me odiarem mais uma vez
amarei outra vez

e se insistirem em me odiar
sei que a insistência do amor
vencerá

pois só sei amar

em palavras e gestos e sentimentos e atos

e palavras são como pessoas
e são pessoas em seu pleno ato de amar.

adenildo lima.

sábado, 24 de novembro de 2012

diálogo sobre o amor

"pai, o senhor ama a mamãe?"
"amo, filha".
"o amor é o que, pai?"
"o amor... o amor..."
"sim, pai, o amor!"
"ah, é uma coisa boa."
"só isso?!"
"ah, é um pouco mais, filha ... é um sentimento infinito."
"o infinito fica onde?"
"ham..."
"o infinito, pai, fica onde?"
"ah, filha, fica num lugar bem longe."
"como assim...?"
"ah, filha, o infinito é algo que não tem fim."
"e isso quer dizer que o seu amor pela mamãe nunca vai acabar?"
"isso mesmo, filha, acertou!"
"ah... estranho isso..."
"estranho...?... por que, filha?"
"se nós vamos morrer, o amor não pode ser infinito."
"é que a vida é infinita enquanto percebemos a existência dela."
"nossa, pai, isso é muito confuso."
"entendo. eu também acho".

adenildo lima

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Há um pingo de lágrima perdido no olhar. Todo um sonho desfeito nos feitos de um malefeito dos ditos ditados soltos por aí. Viver é o mais complicado. A vida é apenas uma paráfrase...

adenildo lima

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

encontro íntimo

quando a noite acorda
e os abraços se abraçam
nos braços de quem amamos
o sol tem sentido e faz sentido

quando os olhares se olham
e se beijam nos beijos
acariciados pelos lábios
o sabor tem gosto de amor
e amor só se sente
quando os sentidos têm cheiro

adenildo lima

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Elas...

Anita, Gabriela, Manoela; Ela. Quando suas pernas descobertas pelo véu do tempo, sinto o cheiro do teu corpo adentrando as minhas narinas, meninas! Anita, quando teus beijos beijam os meus beijos no encontro íntimo dos lábios, o corpo sente o bater dos corações se amando; e isso é amor, Gabriela. Sim, Gabriela, teus seios pontudos encostados em meu peito, sinto a tua alma me abraçar no sentido da paixão que é o jeito. Oh, Manoela, teus suspiros, Manoela! Teus abraços, Manoela! Sim, Manoela, tua voz sensual misturada aos gemidos de amor, fazendo-nos fugir das lembranças ardidas da dor. Manoela; Ela, ou elas. Sim, Ela. O sexo é todo sonhar acordado, o imaginar nos delírios de amor. O amor é o que vem primeiro; já o sexo é a realização das consequências.

adenildo lima