sexta-feira, 27 de julho de 2012

O amor é natural

Meu amor, você só esqueceu uma coisa.
O quê? - perguntou Júlio.
Esqueceu de dizer que não me ama.
O quê?!
Sim, você esqueceu de dizer que não me ama.
Mas que loucura é essa, Paula?!
Não, não é loucura, é pura verdade. Uma mulher conhece o toque suave dos dedos de um homem quando a ama.
Será?
Sim, sem dúvida. Antigamente os seus beijos tinham sabor, os seus abraços tinham carinho e você era tão natural. Aliás, como sempre falávamos, o amor é natural.
Mas Paula, isso é imaginação sua. Eu acredito que continuo te amando como antes, como sempre a amei.
Não. No início no do nosso casamento - no primeiro ano - tudo era muito natural, não existia preocupação de um agradar ao outro; apenas agradava. Hoje sinto que até mesmo as flores que você compra já não têm mais a mesma essência. Parece que nós temos medo de conversar sobre isso. E não devíamos ter medo.
Paula, mas qual o motivo que te leva a pensar isso?
Não são motivos, Júlio, é a realidade. E o que é, é, não podemos negar.
E o que vamos fazer, meu amor?
Não sei, conversar já é um grande começo.

adenildo lima

Nenhum comentário: