sexta-feira, 27 de julho de 2012

O amor é natural

Meu amor, você só esqueceu uma coisa.
O quê? - perguntou Júlio.
Esqueceu de dizer que não me ama.
O quê?!
Sim, você esqueceu de dizer que não me ama.
Mas que loucura é essa, Paula?!
Não, não é loucura, é pura verdade. Uma mulher conhece o toque suave dos dedos de um homem quando a ama.
Será?
Sim, sem dúvida. Antigamente os seus beijos tinham sabor, os seus abraços tinham carinho e você era tão natural. Aliás, como sempre falávamos, o amor é natural.
Mas Paula, isso é imaginação sua. Eu acredito que continuo te amando como antes, como sempre a amei.
Não. No início no do nosso casamento - no primeiro ano - tudo era muito natural, não existia preocupação de um agradar ao outro; apenas agradava. Hoje sinto que até mesmo as flores que você compra já não têm mais a mesma essência. Parece que nós temos medo de conversar sobre isso. E não devíamos ter medo.
Paula, mas qual o motivo que te leva a pensar isso?
Não são motivos, Júlio, é a realidade. E o que é, é, não podemos negar.
E o que vamos fazer, meu amor?
Não sei, conversar já é um grande começo.

adenildo lima

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Pré-lançamento do livro de Adenildo Lima e Márcio Ahimsa


MAPA DO LOCAL:
https://maps.google.com.br/maps?hl=pt-BR&q=Rua+Professor+Oscar+Barreto+Filho,+350&ie=UTF-8&amp hq=hnear=0x94ce4f14a3b2fef3:0x314c3104ec7c5a71,R.+Prof.+Oscar+Barreto+Filho,+350+-+Grajau,+S%C3%A3o+Paulo,+04822-300&gl=br&ei=6v_0T_rvKKTm0QGC5oTWBg&sqi=2&ved=0CAUQ8gEwAA

O encontro que não aconteceu

Há um sorriso guardado na lembrança, de uma madrugada fria, aquecida pelo fogo de uma fogueira improvisada. Olhares se olhavam com carinho, meio perdidos, sentindo estranheza diante do ainda não conhecido; parecia rolar um clima. Menina com seu jeito de adolescente solta ao além, ao léu do tempo, como se demonstrar rebeldia servisse para intimidar aquele rapaz.

Todos vão dormir, ficam apenas os dois, entre olhares e breves palavras. O dia parece que quer surgir, mas os corpos se deitam, separados, e dormem. E só as lembranças ficaram guardadas, hoje, eles nem existem mais, para eles mesmos.

adenildo lima