sábado, 23 de junho de 2012

Um diálogo educativo

- Professora, quanto que eu tirei na prova?
- Ainda não corrigi, menina.
- Nossa, a senhora nem sabe o meu nome?
- E você, sabe?
- Ah, professora...
- Pois é, para quem tem seiscentos alunos fica difícil de saber o nome de todos. E como eu gostaria de saber, de chamá-los pelo nome, de conhecê-los um pouco mais...
- Desculpa, eu compreendo a Senhora. Mas o que deixa a educação nessas condições?
- É difícil explicar o que já é visível.
- Agora lembrei, a senhora já tratou desse assunto, com outras palavras... mas será que eu vou passar na sua prova?
- Sinceramente, posso dizer para você que a prova não é o único meio para avaliar um estudante; eu nem gostaria de tê-la, mas...
- Então eu vou passar? É que eu quero fazer faculdade, profa.
- Fique tranquila, aluna igual a você não pode ser avaliada apenas por uma prova: você é participativa, faz todos os trabalhos, frequenta as aulas..., como poderia ser reprovada?
- Dona Márcia, muito obrigada.
- Dona Márcia?! Você sabe meu nome?
- É claro, né, fessora? É que normalmente nós não chamamos os nossos professores pelo nome. Professores e Professoras são como pais e mães, dificilmente chamamo-os pelo nome.

A professora riu, abraçou-a e saiu pensando na possibilidade de um dia o professor poder trabalhar com situações favoráveis, com menos alunos em salas de aula, com recursos e com uma carga não tão exaustiva.

adenildo lima

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Zé Ramalho com seu novo CD...

SINAIS DOS TEMPOS      



SINAIS DOS TEMPOS - ZÉ RAMALHO
12 CANÇÕES INÉDITAS TODAS DA AUTORIA DE ZÉ RAMALHO
DISPONÍVEL EM PRÉ-VENDA, DIA 15/06/12
INAUGURANDO O SELO AVÔHAI MUSIC
PRÉ-VENDA:

Livraria Saraiva

Livraria Cultura

Fnac
     

sábado, 16 de junho de 2012

Talvez...

Talvez você tenha esquecido. Disseram-me que a palavra "talvez" é um advérbio de dúvida. Respondi que já não lembrava mais das regras da gramática; lembrava apenas de você. Sim, de você, do seu jeito de ser, da sua maneira de viver, de andar, de me olhar, do teu carinho. Parece que o tempo passa muito rápido, que as lembranças são uma ponte para não deixar morrer algum momento ou tempo bons vividos. Mas não vivo de passado, por isso digo talvez você tenha me esquecido...

adenildo lima

O amor

Em muitos momentos as pessoas me perguntam o que é o amor. E eu sempre digo que não sei responder, pois só conheço o meu. Sabemos que é uma palavra infinita, sem explicação. E só quem vive um momento inesquecível pode dizer como ele é, mas o amor de acordo com o que ele viveu. Não é que ele tenha milhões de faces. Na verdade, tem a essência de acordo com a sensibilidade de cada um. Sei que tudo o que eu faço na vida é amar. Aprendi com o dia a dia que o ódio é um sentimento que destrói primeiro a si, para depois destruir ao outro. Não quero que aconteça isso comigo, e nem com o outro.

Dizem que amor verdadeiro só de mãe. Concordo. Já que mãe só temos uma. E se só temos uma, amor verdadeiro só o dela. E isso não quer dizer que o ser humano só pode amar uma pessoa uma vez na vida. Precisamos amar sempre. E que todos os amores sejam verdadeiros; já que não conheço amor falso. Se é falso, quem disse que é amor?

Amar é doar-se ao outro e fazer pelo outro sem nenhum interesse e não deixar de amar a si mesmo...

adenildo lima

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Prêmio da Música Brasileira consagra Criolo

O rapper Criolo, 36, foi o maior vencedor da 23a edição do Prêmio da Música Brasileira, levando três troféus em cerimônia na noite desta quarta-feira, no Teatro Municipal do Rio.
O artista paulistano foi eleito a revelação da música nacional no último ano e levou ainda os prêmios de melhor cantor e álbum ("Nó na Orelha") em sua categoria (Pop, Rock, Reggae, Hip Hop, Funk).
A premiação, apresentada por Luana Piovani e Zélia Duncan, foi marcada por várias "dobradinhas", em que o melhor cantor (ou cantora) de cada categoria levou também o troféu de melhor álbum: além de Criolo, Dori Caymmi (MPB), Alcione (Canção popular), Herbert Lucena (Regional).

Letícia Moreira/Folhapress
Rapper Criolo ficou com três prêmios da noite
Rapper Criolo ficou com três prêmios da noite
A cerimônia também homenageou João Bosco por seus 40 anos de carreira, convidando diversos artistas para interpretarem seus sucessos; destacaram-se Criolo cantando "De Frente pro Crime" em versão samba-jazz, Ivete Sangalo com uma versão segura de "Corsário", o bom humor de Alcione, imitando os floreios vocais do homenageado em "Quando o Amor Acontece" ("Tô recebendo João Bosco, gente", disse a cantora).
O próprio Bosco subiu ao palco para fechar a premiação, cantando "O Mestre-Sala dos Mares", "Papel Machê", "Desenho de Giz" e a que teve o maior coro da noite: "O Bêbado e a Equilibrista".
OS VENCEDORES:
Revelação do ano - Criolo
Canção do ano - "Sinhá", de Chico Buarque e João Bosco
DVD do ano - "Sinfônico 40 Anos", de Chitãozinho e Xororó
MPB
Álbum - "Poesia Musicada", Dori Caymmi
Grupo - Passo Torto
Cantor - Dori Caymmi
Cantora - Mônica Salmasso
Pop, Rock, Reggae, Hip Hop, Funk
Álbum - "Nó na Orelha", Criolo
Grupo - Mundo Livre SA
Cantor - Criolo
Cantora - Marisa Monte
Canção popular
Álbum - "Duas Faces - Jam Session", de Alcione
Dupla - Chitãozinho e Xororó
Grupo - Banda Calypso
Cantor - Cauby Peixoto
Cantora - Alcione
Samba
Álbum - "Nosso Samba Tá na Rua", de Beth Carvalho
Grupo - Fundo de Quintal
Cantor - Arlindo Cruz
Cantora - Fabiana Cozza
Regional
Álbum - "Não Me Peçam Jamais que Eu Dê de Graça Tudo Aquilo que Eu Tenho pra Vender", de Herbert Lucena
Dupla - Kleuton e Karen
Grupo - Ponto Br
Cantor - Herbert Lucena
Cantora - Socorro Lira
Instrumental
Álbum - "The Art of Samba Jazz", Dom Salvador Sextet
Solista - Hamilton de Holanda
Grupo - Zimbo Trio
Categorias especiais
Projeto especial - "O Samba Carioca de Wilson Baptista", vários artistas
Eletrônico - "Lá Onde Eu Moro", de João Ermeto
Erudito - "Liszt: Harmonies du Soir", de Nelson Freire
Infantil - "Embolada", de Rita Rameh e Luiz Waack
Língua estrangeira - "Goodnight Kiss", de Delicatessen
Projeto visual - Evandro Borel, por "Não Me Peçam Jamais que Eu Dê de Graça Tudo Aquilo que Eu Tenho pra Vender", de Herbert Lucena
Arranjador - Gilson Peranzzetta, por "Iluminado", de Dominguinhos.

fonte: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/1104476-premio-da-musica-brasileira-consagra-criolo.shtml

terça-feira, 12 de junho de 2012

entrelaçados

a parte partida
em mim
não é ferida

não, não é...

o semblante escondido
pelos passos
apressados
são sonhos
sonhados e desejados

entrelaçados...

as luzes escura
encandeiam
o meu olhar

ah, o teu olhar
ainda lembro
relembro
o timbre de sua voz

suave
doce
íntima
em mim
esperando
teu sim

mas saiba
a parte partida
em mim
não é ferida
é um lapso
do começo em mim
da ida...

adenildo lima

domingo, 3 de junho de 2012

ainda há sonhos e esperanças para os adultos que nunca deixaram de ter a alma de criança

adenildo lima