quinta-feira, 15 de março de 2012

valerie

valerie, você vem como o sonho de liberdade perdido em algum olhar. vem e passa diante mim. teu vestido me abraça com um jeito leve e solto. tuas sandálias pisam a terra, e teus pés são parte integrante do chão que reclino os meus desejos. desejos de criança que deseja colo, que espera um carinho, que fica feliz com o sonho de liberdade. valerie, teus lábios molhados pela ponta de tua língua, me excita ao prazer de tê-la. e você vem como quem não quer nada. e passa. eu te observo, valerie, te desejo, te espero; sonho com teu corpo no meu abraçando os meus braços e abraços num enlaço aconchegante que chamo de amor, de carinho, de prazer.

valerie, teus cabelos soltos, movidos pelo vento, deixa o teu olhar de mulher num diálogo qualquer que eu espero um dia poder vivê-lo contigo. tua experiência, valerie, mostrada em teus passos, em teu jeito, em teu balancear ao andar: sinto-me criança em teus olhares, sinto-me perdido e encontrado nas loucuras de uma paixão, de um amor, de um prazer... vivido apenas por mim, valerie...

valerie, o caminho é apenas o destino, o que eu preciso mesmo é de sua companhia...

adenildo lima.

Nenhum comentário: