terça-feira, 15 de novembro de 2011

paula

ainda lembro de você, e juro que não quero, mas não consigo. você se faz presente a cada momento. sinto falta dos beijos e dos abraços e dos nossos corpos entrelaçados; era tão bom, tudo era muito bom. seu cheiro, seu sorriso, seu olhar, nossas histórias estão guardadas aqui para sempre, talvez.

paula, o dia passa, as horas; tudo passa e só o amor permanece em nós. lembro de você dizendo que voltaria depois da festa, e nunca mais voltou. a rua do outro lado de lá continua na minha triste lembrança, éramos tão felizes. a vida é uma surpresa, né, paula? ela surge e de repente termina numa hora qualquer.

lembro de você, paula, e juro que não queria, as lembranças me fazem sofrer, mas é gostoso lembrar de você, as lembranças são sempre boas, ruim mesmo é saber que não voltas mais.

adenildo lima

Nenhum comentário: