terça-feira, 29 de novembro de 2011

la intimidad y la emoción

era uma tarde fria.uma tarde daqueles dias em que a gente fica com vontade de deitar no sofá e ouvir uma música, para lembrar dos momentos passados; quer sejam bons ou ruins. e eu lembrei. mas não estava deitado no sofá e muito menos na cama. estava sentado na calçada. lembro que o meu olhar estava cabisbaixo, sentia-me meio piongo, algo forte me movia, e eu não sabia o quê. uma criança, sozinha, vem em minha direção, rindo, brincando, toda feliz. e me olha, e me encara, ali, parada diante de mim. os meus olhos continuam olhando para baixo, como se eu não estivesse vendo-a. "moço, você tá triste?!", perguntou ela. levantei o olhar em sua direção. "moço, parece que você tá emocionado", enfatizou ela. nada respondi. "moço, você tá chorando?". "Sim, estou", respondi. ela sorriu e foi embora. lá na frente, bem na frente, parou, olhou para trás, ficou uns dois minutos me observando. e voltou. "moço, qual o seu nome?", "meu nome?!", perguntei meio assustado. "sim, seu nome", disse ela. "ou você não tem nome?", "tenho", disse sem querer dar continuidade. "foi sua namorada que te deixou?", insistiu ela nas perguntas. "não, estou apenas emocionado", respondi com carinho. "Emocionado?!", falou ela com cara de espanto. e eu ri. ela também. e parece que naquele momento nem eu nem ela sabíamos definir o que é emoção.

adenildo lima

Nenhum comentário: