domingo, 23 de outubro de 2011

Janaina

Janaina ainda cheira a leite. Aos 18 anos de idade é semente brotando ensejos nos olhares, inclusive no meu. Um sorriso meigo e doce com ar infantil faz o coração bater mais forte. E forte mesmo foi a vontade que eu tive de tê-la. De sentir seus lábios encostando aos meus. De sentir o cheiro de donzela adentrando minhas narinas. Ah, Janaina, conversamos tão pouco que o pouco tempo que tivemos não foi o suficiente para te falar um pouco mais. Como eu queria falar que você, naquele momento, instigou os meus desejos. A cada olhadela sua me fazia pensar mil coisas. A festa continuou. Conversamos bastante sobre coisas banais da vida. Foi bom ter conversado contigo... foi bom... A música tocava, alguns dançavam, outros bebiam e a gente... conversava... é, Janaina, quem sabe um dia eu te encontro por aí, ou você me encontra e a gente bate outro papo e quem sabe os nossos corpos se abraçam, se beijam e até vamos dizer um eu te amo. Sim, pois amar não é tão complicado como dizem. Amar é um sentimento bom, gostoso de lidar com ele. É, quem sabe um dia... quando você foi embora veio a mim, abraçou meu corpo com carinho, me deu um beijo de despedida e se foi, e o seu sorriso eu guardei... você nem percebeu, né, que eu te observava?

adenildo lima

Nenhum comentário: