terça-feira, 4 de outubro de 2011

amor de criança

as imagens são passantes em minha mente, maria, quando lembro você subindo a escada rolante. parece que todo o amor que um dia eu tive - e pensado ter esquecido - voltou naquele instante. tive vontade de falar teu nome. falei apenas maria, mesmo sabendo que seu nome é lisa. lembrei naquele momento dos momentos em que conversávamos nos lugares mais improvisados pela cidade de são paulo. são paulo é uma cidade tão bonita, né, maria? eu amo esta cidade. ela é um poema com todos os versos possíveis: há solidão, há amor, há tristeza, há dor, há esperança... há tudo, maria, até você. sinto saudades dos momentos em que a vida não corria tanto. e nem sei se sou desse tempo em que a vida não era uma correria. ainda somos tão jovens, né, maria? ah, maria, você subindo aquela escada, quando teus olhos olharam os meus, quase gritei teu nome. será que você ainda me ama? acho que sim, o amor nunca acaba, assim eu penso. é, a vida passa, e nós seguimos em nossos caminhos... mas continuo te amando, assim, como amam as crianças... e as mais inocentes...

adenildo lima

Nenhum comentário: