domingo, 18 de setembro de 2011

Lulu

Lulu estava deitado na calçada, cansado de tanto andar a procura de algo para comer. Com a língua um pouco de fora. Algumas pessoas vinham e iam. Era madrugada, umas 3h mais ou menos. Lulu tinha chegado da caça a 20 minutos. Chegou. Sentou-se encostado a parede de um prédio velho. Cochilou e depois deitou seu corpo ao chão.

Lulu demonstrava ter uns 10 anos de idade. Alguns dizem que ele passou a morar naquela rua fazia dois anos. Os donos dele tinham ido embora para outro estado. E ele ficou sem dono. Chorou por alguns dias. Ficou triste. Algumas pessoas percebiam isso, mas ninguém o adotava. Fisicamente falando era um cachorro feio: magro, orelhas caídas, calda rabugenta, e era triste, aliás, antes era um cão alegre, mas ao ficar sozinho, a dor de estar só o deixou muito machucado psicologicamente.

Lulu, ali, deitado naquela calçada nem viu o dia amanhecer. Uns vândalos tiraram sua vida. E como tiraram não tenho coragem de descrever. Foi bastante triste. Pobre de Lulu, nunca mais acordou. Ainda hoje deve restar alguma lágrima dele perdida no olhar de alguma pessoa que carrega um peso na consciência por não o ter adotado. Já os vândalos, ninguém tem notícias, afinal, foi um pobre Lulu que foi morto. E qual valor tem um pobre para os olhos de uma justiça que enxerga pouquíssimo?

Pobre Lulu...

adenildo lima

Nenhum comentário: