domingo, 14 de agosto de 2011

Todo amor

Todo amor é uma forma de perigo, não sei explicar, mas é. Alguns são mais perigosos, outros nem tanto. Só acho que estou apaixonado. E o amor é como uma arma apontada para nós. O nosso coração entra em conflito consigo mesmo, os lábios desejam o sabor dos lábios da pessoa amada. O corpo treme, a alma deseja os ensejos mais ardosos e carinhosos.

Todo amor, possivelmente seja uma maneira de preencher algum vazio em nós, não sei qual, mas é. Confesso, amigo leitor, eu quero fugir, mas não consigo. Sinto-me preso, sem saída, sem ação... assim é a paixão. Voltamos a ser criança, esquecemos até da razão.

Por que que o amor tem que ser assim?

adenildo lima

Nenhum comentário: