quarta-feira, 24 de agosto de 2011

A lágrima perdida

... E o que foi que eu aprendi em toda esta vida vivida? A chorar, a odiar, a querer, a ser egoísta, a fazer algo bom...? O que foi que eu aprendi enquanto estava contigo, se tão pouco te dei atenção? Hoje, Aline, olho cada detalhe que vivemos. Fico pensando. E você diz: "Vinícius, a vida passa muito breve". Mas você diz isso em meus próprios pensamentos. E eu continuo pensando: "Por que só valorizamos as coisas depois que elas se vão?". Não encontro resposta, fecho-me dentro do quarto, olhando apenas uma breja na janela que me leva ao mundo externo, mas me sinto tão restrito comigo mesmo. É, Aline, vejo você partindo para nunca mais voltar. A vida foi cruel contigo. E você me olha: "Acorda, menino, você não deve se culpar pelo o que não fez e muito menos pelo o que deixou de fazer. Faça agora o que pode". Mas me sinto fraco, Aline. Sim, sinto-me fraco. Eu poderia ter vivido contigo um pouco mais, amado-a um pouco mais... Você se foi muito rápido. Lembra quando eu falei que te amava, e você riu? Ah, eu lembro, acho que você não acreditou. "Sim, acreditei sim, Vinícius", você me responde. Mas qual o motivo que me leva a lamentar, hoje? Você me olha e sorri. Teus lábios são tão lindos, tão impactantes, suaves e doces. É, por que não valorizamos o que temos enquanto estamos juntos? Você me olha e apenas responde: "Amar já é um grande começo". E eu adormeço em minha cama sem perceber que o tempo passa.

adenildo lima

Nenhum comentário: