quarta-feira, 20 de julho de 2011

Tecnologia e solidão são palavras sinônimas...?

Não sei se com o avanço tecnológico as pessoas estão mais próximas ou mais longe de si mesmas. Sei que estamos vivendo em tempos de frio, de olhares frios, de abraços congelados, de sorrisos frios e falseados; de amizades interesseiras.

Tudo bem que toda a amizade é interesseira, mas que não seja de um interesse materialista, onde o ponto certo de todos os objetivos se encontram no dinheiro. Sei também que as pessoas correm demais, e como o tempo é pouco para "um eu te amo". Falta tempo até mesmo para um simples sorriso (verdadeiro). Não sei se a verdade anda banalizada, ou se o amor não passa de uma banalização nos olhares interesseiros de humanos maquinizados.

Que a pós-modernidade é boa, disso não tenho dúvidas, o que me incomoda é a desumanização vinda pela rapidez da internet. Os pais tão pouco conversam com seus filhos olhando-os nos olhos, preferem sentar diante de um computador e ficar batendo papo com as crianças no outro lado da parede. Se isso faz parte da nossa época? É lógico que faz, mas acredito que, como nós somos os criadores das máquinas, precisamos domá-las e não ser domados por elas.

Hoje, os casais de namorados passam 4h. ou mais num aparelho de celular falando com a "pessoa amada". Conversam todos os dias, todos os dias, todos os dias... tudo o que poderiam dividir em um ano, acabam conversando em uma noite apenas, e depois disso é apenas repetição. É quando vem a monotonia, é quando a rotina não passa de uma simples rotina, e o amor passa a ser objeto, e a outra pessoa como um produto para a diversão rotineira.

Concordo quando dizem que tudo o que fazemos são repetições. Sim, concordo, plenamente, mas precisamos renovar as repetições. Uma casa pode ser pintada todos os anos, mas que ela seja pintada com uma cor diferente, e isso dará um novo visual, uma nova imagem. Então, ao meu ponto de vista, não é necessário ficar 4h. num aparelho de celular para confirmar que ama alguém. Ao meu ponto de vista, falando mais uma vez, isso para mim tem sinônimo de solidão, de carência; até mesmo familiar ou, principalmente familiar.

A tecnologia é maravilhosa, mas precisamos aprender a domá-la e não a ser domados por ela.

adenildo lima.

Um comentário:

ronaldo_cn@hotmail.com disse...

Gostei muito do seu texto, concordo plenamente que precisamos ser donos das tecnologias(internet, televisão) e não elas serem donas de nós, como ocorre muitas vezes. Eu mesmo vivo um dilema muito grande na minha casa, tenho um irmão da mesma faixa etária, mas não somos amigos não trocamos ideias. Não tenho pai, e minha mãe trabalha o dia quase inteiro, me sinto muito sozinho, tem dias que acho minha casa uma verdadeira prisão e acabo descontando no tempo que fico na internet e na televisão, hoje mesmo não sai de casa; foi horrível.
Se tiver afim de trocar umas ideias mi manda um email.