sábado, 18 de junho de 2011

Ser professor

Ser professor é uma profissão árdua, mas prazerosa. O ofício dessa função vai além do que apenas os cumprimentos de um cargo. Antes de tudo, para ser professor precisa ter alma, só carne e ossos não são o suficientes para entrar numa sala de aula. E é preciso que todo mestre saiba que não é o dono do conhecimento, e muito menos transmissor de autoritarismo. Sim, falo "transmissor de autoritarismo".

O conhecimento é uma arma muito poderosa. Para quem tem sensibilidade humana, vai usá-lo para o bem, mas para quem não tem um pouquinho só da essência poética na alma... Ele (o conhecimento) pode destruir uma nação. Dizer ao aluno: "Eu sou professor!". É a mesma coisa que dizer: "Você é meu subordinado!". É necessário que haja um diálogo entre as partes: aluno-professor, professor-aluno. Todo o estudante sabe que o professor é o professor, não precisa dizer. O que o jovem cidadão espera de um mestre são referências, um modelo e autoestima para poder sonhar. Pois até mesmo sonhar está difícil nestes tempos de milhões de novidades em que vivemos.

São milhões de informações que os nossos adolescentes recebem; mas formação tão pouco. O próprio sistema político não colabora para termos cidadãos críticos e capazes de saborear a comida antes de ingeri-la. Nós, professores, temos salários de miséria. As unidades escolares estão inteiramente desprovidas para os alunos do século 21. Falta tudo! é uma outra realidade comparando à realidade deles. As salas de aula continuam com aquele velho quadro negro: escrever e copiar, copiar e escrever.

Ser professor é uma profissão árdua, mas prazerosa. Saber que ao plantar uma semente, uma pequena semente, é possível colher vários frutos, não há comparação. Ouvir que você, como profissional e como ser humano foi capaz de fazer a diferença na vida de alguém, vale mais do que o mísero salário que se recebe um mestre. Por isso que é preciso ter alma.

Ensinar é aprender. É ajudar o aluno a descobrir que ele pode criar e recriar mundos. Que ele pode dizer que o professor errou. Por que não?! Isso deve servir de orgulho para o professor, pois é uma prova que o aluno está participando da aula. É preciso dividir conhecimentos. Conhecimento partilhado é um grande caminho para juntos chegarem a um objetivo. Que tal salvar o mundo?

Sim, sabemos que não podemos salvar o mundo, mas quando acreditamos que o que fazemos é possível transformar, tantos mundos mudarão. E como muda quando sabemos aprender, já que ensinar é apenas uma parte da aprendizagem.

Ser professor é saber ouvir, é saber questionar e ser questionado, é aceitar que errou e juntos transformar em algo positivo, é sonhar e fazer muitos sonharem juntos.

Ser professor é amar sem esperar recompensa, pois para quem ama, apenas ama e faz, o que poderá vir, que seja consequências dos atos praticados.

E já não falo mais apenas a língua dos anjos, preciso aprender a falar a língua das prostitutas, dos ricos, dos pobres, das crianças... sim, das crianças...

Pois é preciso falar a língua que tenha como sinonímia o AMOR...

adenildo lima.


Nenhum comentário: