quinta-feira, 30 de junho de 2011

Amanhã

Amanhã é um outro dia, e nem sei se ele existirá, aliás, nunca sabemos. Sabemos apenas que sempre existirá um amanhã, mas, muitas vezes, não para nós. Sonhar é uma maneira de suportar as exigências do presente. E é necessário sonhar. A vida é um lapso que passa diante dos nossos olhos, num fechar de olhos. E cada um vive a sua. Muitos vivem toda a vida em um dia, já outros vivem a vida toda e não consegue vivê-la em 80 anos.

Amanhã demora para chegar, e pode até nunca chegar. Até mesmo porque o amanhã não existe, e se existe, existe apenas nas ilusões de alguns. O meu medo da existência do futuro (na verdade não é medo) é de saber que muitos deixam de viver o presente esperando melhoria num momento adiante. O momento é agora. Decidimos tudo no agora, mas é preciso decidir com razão, não podemos deixar que as ondas do mar nos levem. Toda beleza tem um pouco de perigo, ou muito.

Amanhã será um dia que irei acordar no presente. Vou me levantar, olhar o sol - se ele estiver visível -, vou lembrar das manhãs em que escrevia e-mails de amor para minha amada, vou refletir sobre o passado, mesmo sabendo que o passado também não existe, pois se existisse eu voltaria a ele. Um passado lembrado é um belo presente quando os momentos foram bons. Mas tudo acontece no agora. E viver apenas já não é mais o bastante, é preciso desfrutar de cada momento vivido.

Amanhã é mais uma maneira de falar. Já a minha amada, ficarei aqui, esperando-a no meu presente. E que ela me traga pelo menos um presente de amor.

adenildo lima.

Nenhum comentário: