terça-feira, 3 de maio de 2011

Uma canção de amor

Como eu queria em todos os momentos da minha vida cantar o amor. Como eu queria tirar de mim os momentos de angústia... mas talvez não seja tão ruim assim os meus momentos descabidos comigo mesmo, pois até na minha expressão de ódio; é puro amor. Fico revoltado com a desigualdade humana, com o abuso de poder que o ser humano usa para tentar inferiorizar o próximo. Sei que sou um mero sonhador perdido neste planeta, talvez. Mas como eu gostaria que você cantasse junto comigo uma canção de amor. De um amor puro e sincero, sem interesse, apenas uma canção de amor, onde a melodia não tivesse tons desiguais, e mesmo tendo que fosse para harmonizar melhor o ritmo. Sei que não sou nenhum santo e muito menos um diabo mas desde o meu nascimento sonho com olhares que se abracem, que se beijem, que se amem sem precisar os bens materiais do outro. Sonho também que os chefes deixem de ser chefes e passem a ser líderes. E você que me olha, não me olhe pelos cabelos arrepiados eles não são a minha identidade mental. Não me olhe pelo meu jeito de moleque; não sou. Sou criança. E como seria bom se todos fossem crianças.

Mas cantar ainda é um dos meus desejos maiores. Sei que cantando posso entrar calmamente na sua intimidade infinita.

adenildo lima

Nenhum comentário: