sábado, 12 de fevereiro de 2011

O sonho desnecessário

No meio a tantas guerras, não é mais preciso sonhar. O sonho passa a ser algo desnecessário. O que precisa mesmo é ir a luta. E como o povo tem poder. Aliás, eu sempre digo que o poder é do povo. Que me perdoem os intelectuais em suas ilustres poltronas, eles não dizem nada, são meros vermes esperando pela morte que nem eles mesmo sabem. Mas o poder é do poder. Fico emocionando vendo uma multidão de gente pelas ruas, gritando, chorando, clamando por dias melhores.

dias melhores

Uma criança diante do exército com uma lágrima caindo em sua face, por mais que os soldados sejam máquinas, por um segundo eles pensam que ainda podemos ter esperança, mas infelizmente o homem - a humanidade - é uma máquina construída pelos moldes impostos e postos pela dita sociedade que controla, poucos que lutam contra, muitas vezes, não conseguem alcançar o amanhecer. E tudo passa a ser metáforas, até mesmo no olhar daquela menina apaixonada por mim, jurando que me ama e, na verdade, nem sabe diferenciar o que é amor e o que é paixão, mas ela afirma que ama. E se é assim, tudo bem, enquanto acreditamos tudo existe, da nossa maneira.

Já a loucura não é mais abstrata. Poucos são os loucos, e muitos são os covardes, mas nos quatro cantos do mundo há uma guerra, e não é uma guerra de amor, por isso, prefiro as borboletas voando nos jardins a esses míseros seres humanos que só pensam no poder, no poder, no poder, no poder de ter mais e mais e mais... poder...

E em algum lugar algumas pessoas comemoram alguma coisa. E eu perdi o medo de me apaixonar. E a vida me olha com mais cautela. E eu abro os braços, mas a mesma menina que jurava amor e paixão por mim, não existe mais, ou, talvez, exista, nessa lembrança relembrada agora por mim. E neste momento aplaudo o povo do Egito. E neste momento digo que uma abelha é bem mais inteligente do que o ser humano. Alguém já parou para observar o que ela faz? Alguém já parou para observar a casa de um beija-flor, construída por ele?

Tudo o que fazemos por amor não é pecado, desde que não tenha a intenção de ferir, ou ferir, pois sonhar é desnecessário.

adenildo lima

Nenhum comentário: