sábado, 15 de janeiro de 2011

a vida em letras minúsculas

começo escrevendo este texto, desvendando de mim, um segredo: me sinto mal escrever meu nome com inicial maiúscula. pode até parecer besteira, mas, o fato, na verdade, é que eu não sei explicar o que me leva a isso. aliás, na minha vida tem milhões de coisas que não sei explicar; por isso escrevo. escrever, para mim, é uma maneira de fugir da tal realidade que tantos intelectuais procuram explicar - sendo sincero, não gosto de intelectuais-, ah, eles são chatos! gostaria tanto que a intelectualidade fosse vista como eu vejo. mas cada um cada um.

mas voltando ao tema discutido no início deste texto digo que letras maiúsculas, parece que desigualam a harmonia dos sonhos construídos num texto e num contexto humano. acho tão bonito o meu nome escrito com letras minúsculas. ah, eu gosto, me sinto bem. ocupa um espaço pequeno no universo. e temos tão pouco espaço nesse planeta, principalmente para as pessoas humildes. e ressaltando a palavra humildade, falo dos humildes no sentido dos menos favorecidos mesmo, pois, para mim, ser humilde é o maior bem que um ser humano pode ter na vida. e ser humilde não é ser inferior, e muito menos superior.

às veze eu me pego pensando e até penso ser um único ser solitário. sim, um único ser solitário. não precisa leitor se preocupar em entender essa frase: um único ser solitário. esqueça a gramática, esqueça as regras que tanto nos controlam, já somos tão controlados por esse sistema. vamos começar a valorizar a essência humana. sim, a essência humana. ela é tudo que nos resta nesse mundo de máquinas com tantos cerébros maquinizados. agora volto aos momentos em que me pego pensando comigo mesmo.

eu penso, e acho que penso demais. aliás, não são apenas pensamentos, são sonhos. sonho vivendo num mundo onde todos possam dialogar, possam ser ouvidos, possam expressar seus pensamentos. eu sei que você, amigo leitor, pode até achar isso impossível, mas não precisa a gente querer mudar o mundo; vamos mudar o nosso mundo. se a mudança for interessante, pode ter certeza que muitos entrarão nele, nesse mundo.

é, você percebeu que eu comecei falando da vida em letras minúsculas, e falei tantas coisas.

ah, eu ia esquecendo de falar da mãe. calma!!!

mãe é igual a flor, mesmo com espinhos não perde a essência!

adenildo lima

Nenhum comentário: