quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A janela

O amor saiu pela janela. Por que deixaram a janela aberta? Não sei! Juro que não sei. Ele saiu deixando saudades, assim, como pássaros que ganham voo. Sinto muito a falta dele, e até hoje não consegui entender o motivo. Uma solidão forte vem a mim, principalmente nas noites caladas e frias, até as paredes perdem o rosto, e eu fico procurando algo para me divertir. Já se passaram três anos, mas a falta continua a mesma, talvez a dor esteja doendo menos, mas o ruim mesmo é o vazio, aquele vazio, sabe?

Talvez você não saiba, e até fico feliz que não saibas, não desejo isso para ninguém, mesmo sabendo que todos por isso passarão. A minha dúvida mesmo é sobre a janela. Será que a deixamos aberta? Eu poderia ter observado mais, mas na verdade eu senti um peso muito forte em cima de mim e não tive forças para reagir. Até hoje me culpo por isso, e até me considero fraco, pensando que eu poderia ter mudado, talvez observado mais aquela janela - logo eu que tanto gosto da solidão, neste momento ela me fere um pouco -, acho que foi a leitura que acabei de fazer de um poema de Drummond "Como um presente".

A tua ausência física, posso dizer, é muito ausente, mas as lembranças, os teus ensinamentos a cada dia que se passa são mais vivos em mim. E quando vêm as dificuldades...?... É verdade, eu sinto sua falta, teu abraço, teu beijo... e até lembro do natal em que comemoramos juntos, e não sei donde tiraste aquela frase "Vamos comemorar, talvez no próximo ano eu não esteja mais aqui". E realmente foi assim que aconteceu. Chorei bastante quando abri a porta e vi as pessoas comemorando. Tudo isso ainda dói, mas não dói tanto assim, o que dói mesmo, talvez seja a janela.

A janela é sempre misteriosa, aliás, o que é nossa vida? Possivelmente uma grande janela. Lembro as idas e voltas para o hospital, lembro dos meus irmãos se dedicando tanto para evitar. Lembro cada momento. Lembro até da carta que escrevi, nela expressei, talvez uma grande dor. Mas era como se eu já soubesse o fim. Sim, digo o fim, mas talvez seja o começo. Partir não é o fim, depende muito do conceito de cada um, pois para mim tudo é começo, só não me pergunte de quê.

Sinceramente é difícil. O amor é algo complicado, quanto mais o temos mais o queremos. É, pássaros precisam ganhar asas, e voar. E eu faço o que sempre faço: escrevo para dividir não sei com quem...

assim é a vida

adenildo lima

Um comentário:

Sam disse...

Adê,

Estou visitando meus queridos e oferecendo meu sincero presente de amor.

Todos os dias improviso uma oração sincera: As mãos de Deus de um tamanho que me caiba.

Ao iniciar esta jornada, peço a tua proteção.
Volta teus olhos pra o caminho que ora vou trilhar, estendendo a tua proteção sobre todos os meus passos.
Ilumina a minha estrada pois, sempre que estás comigo, sou forte e capaz de suportar as lições que me destinas.
Orienta as decisões que deverei tomar.
Acompanha-me e certifica-me de que estarei indo ao encontro das minhas melhores opções.
Faz com que minha jornada tenha sucesso, Senhor.
Livra-me dos perigos, dos acidentes e de qualquer situação que me impeça de construir a minha felicidade.
Governa as minhas ações e o comportamento daqueles que podem influenciar o meu destino.
Dirige a tua luz divina para este filho teu que ora com fervor e é motivado pelo teu amor.
Que assim seja, para sempre. Amém!!!

(Oração inspirada no Salmo de Davi)

Meu desejo à todos os meus queridos, de um Feliz Natal! Esqueçamos um pouco os presentes, o consumismo e estejamos mais P.R.E.S.E.N.T.E.S., de alma e coração.

Beijo na alma.

Abraços, flores e estrelas...