sábado, 4 de dezembro de 2010

A essência das flores

Talvez você não tenha percebido, e visto, aquela criança querendo voz, ali, dentro do seu peito, mas eu percebi através do seu olhar uma lágrima caindo. E aquela lágrima não era lágrima de ódio, era de amor. Um amor natural e infantil. Infantil assim como todos os amores; todos os amores são infantis. E dentro do coração ferido, ali, diante de mim, consegui ver que não estavas com ódio.

Meu amor, faz tanto tempo que nos vemos. Ainda escuto tua voz suave, às vezes agressiva, mas sempre amável. Ontem mesmo te procurei nas esquinas; da vida. Fiquei observando todos os pequenos detalhes, e encontrei vários olhares perdidos, e todos pareciam comigo e com você. E aquela criança que queria ganhar voz me pediu um abraço, um acalento que eu pudesse soltá-lo no vento sem fingimentos. E assim eu fiz.

A prova não estava difícil, difícil mesmo estava a prova de amar. Amar é tão complicado, mas só as pessoas não percebem que é tão simples, e acabam complicando tudo, aí, passa a ser, como disse anteriormente, complicado. Talvez você não consiga entender isso que estou tentanto passar, mas não precisa entender muita coisa, apenas não tenha medo de amar, pois amar mesmo entre espinhos é possível colher a essência das flores.

adenildo lima

Nenhum comentário: