quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

E cai a madrugada...

A noite surgiu com o seu abraço de mulher carinhosa, deixou o sol se esconder aos poucos por detrás das montanhas. Ouvi mãe dizer "Ele agora vai pro Japão, quando lá é dia aqui é noite". Sorri, da maneira como ela retratou através de gestos, e ao mesmo tempo dando uma impressão de que temos dois mundos. E temos!

Talvez eu esteja enganado por pensar assim, mas sempre acreditei que o mundo não é um só, até chego a dizer que todo mundo tem o seu próprio mundo. É, mas voltando ao tema principal; sinto que preciso voltar. Eu estava falando do sol se escondendo por detrás das montanhas, e como foi lindo o encontro dele com a lua: o sol e a lua. A lua uma mulher com seu jeito sensível e doce, deu um olá para o amigo sol e o desejou bom descanso. Ele riu, pois como minha mãe falou ele ia para o Japão.

Uma neblina suave veio vindo acompanhando a lua, as plantas ficaram todas molhadas, e felizes. E a noite foi vivendo cada momento: crianças brincando de se esconder, senhores contando estórias e histórias no terreiro acompanhados com a luz suave da lua. E ela, a lua, estava toda feliz, pois ao seu lado estavam lhe fazendo companhia milhões de estrelas.

O relógio zerou os ponteiros: meia noite. A madrugada estava chegando. E chegou como um véu cobrindo os lírios do campo e fazendo dormir a minha amada. Ah, a minha amada, ainda hoje a amo. E todas às vezes que cai a madrugada lembro daquele beijo inocente e tão verdadeiro que demos na infância.

adenildo lima.

Nenhum comentário: