segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Progressão regressiva

"Carlos Alberto, o que aconteceu que no seu caderno não tem nada escrito?"
"Como assim, nada escrito, mãe? Eu nem sabia que escrito nada."
"Você acha que estou brincando é... Filho meu tem que estudar!!!"
"Mas mãe..."
"Nem mais nem menos."
"Mas eu não disse mais, eu disse mas. É diferente, tá. E saber essa diferença é uma prova que estou estudando, só não gosto de escrever."
"Mas precisa escrever, Carlos, no meu tempo quem não escrevia ficava de castigo."
"Tudo muda, mãe, até os tempos como, por exemplo, existe tempo pra amar, tempo pra sonhar, tempo pra se apaixonar... existe tempo pra tanta coisa."
"E existe tempo para escrever."
"Escrever?!"
"Exatamente, Carlos."
"Escrever..."

(...)

"Filho, mas como você foi aprovado, nem estudava?!!!"
"É, mãe, o governo não quer que a gente reprove, ele disse que precisa mostrar para o mundo que a educação em São Paulo está progredindo cada vez mais..."
"É, filho, só que em sentido regressivo".

adenildo lima

Um comentário:

adenildo disse...

muito legal,
e o governo ainda dá dinheiro p/ as escolas.