quinta-feira, 7 de outubro de 2010

o sol e a lua

surge o entardecer. o dia parece que vai sumindo calmamente. e a noite se aproxima. maria com muita alegria vem correndo com os braços abertos, e tão certos, em seu rumo e direção. o sol se esconde por detrás das montanhas. e abraça a lua. e a lua vem com um clima suave, beijando a noite. à noite tudo é diferente. uma voz grita dentro de maria, dizendo: ria, maria. e maria ri. e continua correndo com os braços abertos. seus cabelos voam. seus lábios beijam o tempo. e o tempo abraça maria.

o véu cai. aquele véu transparente que, aos poucos, deixava o corpo dela sendo visto por ele, como divino, e obra prima. e maria se aproximou de carlos. carlos sentiu o corpo tremer. como estátua, ela ficou diante dele. aqueles lábios, aquele olhar, aquele sorriso, aquele jeito de ser; aquele corpo. e aqueles dois corpos, ali, naquele lugar calmo, e natural, já não eram mais dois. maria e carlos, como tiveram alegria.

adenildo lima

Nenhum comentário: