quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Meu presente

Não, não tenho muito o que te oferecer, sou um simples rapaz, vindo da margem da sociedade - dita civilizada - sem dinheiro, sem conta bancária, sem heranças. E me acanho em te presentear. É um simples presente que tenho, tão simples que está até sendo excluído do mundo dos humanos, para muitos, quase não tem valor.

Mas, sinceramente, não sei o que é valioso para você, te conheço tão pouco; ou quase não conheço. Você é menina fina, de família de renome, conhecida pelos status. Já eu, como falei anteriormente, sou um simples rapaz, quase não tenho o que te oferecer. Te ofereço algo que talvez ninguém nunca tenha te oferecido, por isso, acredito eu que você nem queira receber.

Tenho apenas palavras, menina, saídas deste coração que aprendeu a amar sem nenhuma pretensão e sem interesses. Tenho apenas um poema guardado dentro de mim para dividir contigo. Esse é o meu presente para demonstrar o quanto és importante para mim.

Só não sei se ele terá algum valor para você.

adenildo lima.

Nenhum comentário: