sábado, 25 de setembro de 2010

Lembranças

2005. Lembro com todos os detalhes aquele momento que tivemos e vivemos. Foi um encontro à primeira vista. Você veio como quem não quer nada. Veio com um silêncio no olhar e com afago nas mãos.

- Érica, prazer.
- Prazer, Eduardo.

Suas mãos abraçaram as minhas domando o meu corpo. Seus olhos fixaram dentro dos meus. Fiquei sem reação. E percebi que esperavas de minha parte, ação. Como nada falei, fizestes perguntas soltas no ar. Olhei sua mão esquerda, algo brilhava forte, e quase me cegou. Percebi em sua fisionomia um riso disfarçado.

- Você sempre morou aqui, neste lugar tão deserto?
- Sim, respondi.
- Tem vontade de conhecer a cidade grande?
- Não.
- Como, não?

Não respondi, e procurei sentar na calçada. A lua estava bonita acompanhada por milhões de estrelas. Ela em seguida foi sentar comigo, e ficamos conversando.

- Você é casada?
- Sim, ela respondeu.
- Gosta de ser casada?

Ela mudou de assunto e começou a falar em música, poesia... falamos de vários escritores da literatura brasileira. Percebi que ela ficou admirada comigo, não esperava que eu lesse tanto. E disse que eu era muito inteligente. Ri.

...


E depois de um passeio pela praça daquela cidade, voltamos para casa. A noite conspirava ao nosso favor, e tudo nos favorecia. Lembro cada detalhe que vivemos. E aquela noite nunca mais voltou, mas nunca conseguirei esquecê-la.

adenildo lima.

Nenhum comentário: