sábado, 7 de agosto de 2010

relapsos

amigo leitor, acho que este texto que logo logo, em muito breve, estará pronto, será uma crônica de momentos vividos no dia de ontem, no aniversário de uma amiga minha. eu, muitas vezes até me sinto um boêmio rs. Na Vila Mariana tem um barzinho que gosto muito, é de um atendimento excelente - e bom atendimento é tudo para mim -, chamamos o local de lanchinho, assim ele é batizado, fica localizado logo no início da Lins, ao lado do metrô.

como falei anteriormente, ontem foi comemorado o aniversário de uma amiga, renata, tinha vários amigos dela lá, entre eles, eu e o márcio ahimsa, que é praticamente irmão. fomos os primeiros a chegar. logo que chegamos vimos um jovem rapaz com seus, aproximadamente, cinquenta anos de idade, com um violão e uma taça de vinho, tocando, cantando, ali, sozinho. com o passar do tempo ele foi conversar com a gente e se juntou a nossa turma. descobrimos que ele já tocou com fagner, com maria bethânia e tantos outros artistas mais. conversamos bastante sobre a cultura brasileira. eu já o conhecia, já tinha o visto lá, tocando, outras. ele comentou que a filha dele é amiga de maria gadu... e falou bastante , e conversamos bastante sobre esse brasil tão ausente que temos da realidade histórica, pois sempre fica em destaque a história da invasão da europa e lá da américa, da outra américa, e nossa história, o nosso ritmo africano, a nossa cultura, os nossos costumes; e o nosso índio... são ignorados, infelizmente.

a vida é cada relapso, é cada momento vivido, é um sentimento bom que sentimos ao estarmos com pessoas que conseguimos dialogar.

"e a burguesinha ali, como que fica?", esquece, você é uma pessoa culta, não pode se sujar com ela", disse, e riu, um riso muito sério. a burguesinha estava tímida, meio que perdida, olhava-me constantemente. fisicamente, muito bonita, atraente; e me atraiu. mas como o nosso amigo músico disse, é bom evitar, e eu entendi.

é gostoso quando juntamos pessoas de cultura diversas, isso deixa mais rico o nosso conhecimento, a partilha, o diálogo com uma boa breja, é um bom momento.

e a vida continua....


adenildo lima

Um comentário:

Márcio Ahimsa disse...

a vida continua, continuemos então, pescando as amizades caminho afora.