sábado, 21 de agosto de 2010

a arte

que a arte é a essência que nos faz perceber que ainda é possível amar e acreditar na humanidade; disso não tenho dúvidas. e ela, a arte, diante de tantos descontratempos, o artista sabe que é preciso usufruir dela sem nenhuma pretensão.

a arte não existe para cumplir metas, ou atingir algum objetivo além do que possamos imaginar, e é, se sabemos o que imaginar. ela está aí para caminhar, voar... ela não pode ser objeto de uso para mudar o mundo; o artista precisa saber disso, e sabe. ela é solta no vento, se atingir alguma coisita para o bem da sociedade; que maravilha!

infelizmente estamos cansados de vê a elite brasileira frequentar os teatros e os vários centros culturais para se dizerem culto, mas, na maioria das vezes, essa elite é pobre, sem sensibilidade, sem peito humano; sem alma. e o pior, usam a arte como objeto de superioridade diante da nação.

a arte não tem patamar, não tem lugar, não está no pódio ou no palco, está em cada esquina, em cada olhar, em cada verso perdido da vida, ou ganhado. o artista é uma pessoa solitária, poucas pessoas encontramos para dividir esse sentimento humano, que é o da arte. as pessoas estão cada vez mais frias, mais geladas e congeladas, como pedras, duras, e como vultos andantes. e o artista sabe como é difícil encontrar alguém para confiar, para poder dividir um poema, um texto literário, um livro... um quadro...

e que a arte possa encontrar em algum lugar espaço para pousar sua alma.

adenildo lima

Nenhum comentário: