sábado, 3 de julho de 2010

Noites frias

Não, não vou declarar o teu nome aqui neste escrito, mas quero que saibas que hoje, neste momento, senti vontade de dizer que te amo. Senti saudades dos nossos abraços, e beijos...!. O vento é o culpado de tudo isso, você sumiu, aos poucos, de mim, da nossa vida, da nossa vivência..., assim, como uma folha que cai da árvore e some no vento, como uma gota de água caindo no tempo e sumindo na imensidão deste infinito que chamo de vão; foi você comigo: sumiu!

Mas quero que saibas, hoje, neste momento, senti vontade de dizer que te amo.

adenildo lima

Nenhum comentário: