sexta-feira, 11 de junho de 2010

O voo da folha

Restava-lhe o último suspiro. O último abraço. O último beijo. E só veio o último adeus. Parecia um sonho, mas ela não conseguiu acordar para abraçar o sol nascendo pela manhã. O sol, na verdade, veio antes que a madrugada terminasse, antes que o dia nascesse, veio se pondo, em uma tarde calma e silenciosa, dando-lhe um abraço. Hoje, só restam lembranças daquele olhar, daquele sorriso, daquele beijo guardado na memória.

adenildo lima

Um comentário:

Lílian Alcântara disse...

Na verdade, nunca resta nada. Sempre falta. Faltava o último sorriso, o último beijo...