sábado, 19 de junho de 2010

flor amarela

Ah, aquela flor amarela, lembra, Marcela? Lembra Marcela quando eu lembro dela. Vaidosa, assim, como ela. E cheirosa. A flor amarela saiu caminhando, lentamente, rua afora, e fora embora sem nem menos olhar a hora. Foi quando a ilha se fechou, e um riacho no meio da rua se abriu, um cachorro gruniu; Marcela sorriu. Ah, Marcela, minha flor amarela, magrela. difícil é esquecer ela. Ah, esta flor amarela de nome Marcela.

adenildo lima

Nenhum comentário: