quarta-feira, 16 de junho de 2010

Doutores, me desculpe!

Se você ainda não percebeu, sou uma pessoa simples, só tenho o amor, e se alguém algum dia me chamar de doutor, tenha certeza, ficarei envergonhado, não tenho trajes nem títulos Diplomáticos que me classifiquem como Excelência, sou um simples professor - mediando essa nossa educação partida -, ah, minha vida, nasci nos desertos, de um sertão alagoano, por isso minha linguagem é simples, pois com os pássaros aprendi a entender e a falar a linguagem das crianças, com meus pais aprendi a me comunicar com todo mundo... mas por favor, doutor/a não fale inglês, eu gosto mesmo é saborear minha língua no português... no português falado pelo homem rico do campo, com sua enxada, acordando pela manhã, colocando os pássaros para serem banhados pelo sol, e depois ir capinar a terra, amar a terra, fertilizar a terra. Gosto da língua da lavadeira, da cortadora de cana, do jovem da periferia; gosto do português brasileiro, e por favor, não me confunda com estrangeiro, estrangeirismo atrapalha a comunicação. Ah, minha jovem, doutora, com essa alma puritana, iludida pelos códigos e leis... esqueça isso, viva o amor. Ah, meu jovem, escondido pela bata da burocracia humana, largue essa roupa, ela pode inforcar muita gente. Desculpa, eu gostaria de usar uma linguagem, considerada formal, padrão, mas no momento uso apenas esta minha língua culta. Sim, culta, sim. Esta língua tem a cultura do índio, do negro, do holandês, do francês... ah, doutores, desculpem, mas tem tanta cultura nela, bem que eu avisei aos senhores, não se prendam as normas, vivam! E viver basta! Basta viver caminhando com um corpo, mas sendo guiado por uma alma. Sim, falei alma, essa essência humana que aos poucos a profissão de muitos, ou até mesmo os diplomas esconde-a por detrás das máscaras. Meus senhores e senhoras, advogados e advogadas, políticos e tantos mais, desculpem-me por não ter me apresentado antes. Resumindo: sou um simples poeta, escrevendo para crianças e amando os adultos.

adenildo lima

Nenhum comentário: