quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Falta a pontuação em pleno século 21

quando os dias passam as horas passam juntas mas os dias são apenas dias e as horas são apenas horas e o amor é algo que as pessoas pensam que existe mas o dia já passou as horas também e já não há mais tempo para amar resta apenas um segundo e um segundo é muito pouco tempo para perder e para amar e para viver e para querer e o amor é sempre ausente e quando fica bem próximo não acreditamos e sem querer ficamos naquela dúvida que duvida do sol que nasce da tarde que entardece do riso que chora da lágrima que ri e o tempo corre e as horas passam e as palavras já não dizem nada e dizem tantas coisas e os dicionários perdem o valor e a gramática não serve mais para consulta e os poemas perdem os versos e os poetas já não significam mais nada e nadando os faróis se fecham se abrem com a tristeza dos peixes querendo viver em terra seca na rua sem saída onde as crianças parecem felizes com uma bola no pé e os professores choram desesperados porque as crianças nas escolas choram e em casa não tem comida e viver é uma briga mas no chão de concreto nasce flor e os espinhos não resistem as tempestades e murcham e secam e caem ah mas as pessoas que amamos sempre estão tão distantes e parecem ausentes

Adenildo Lima

2 comentários:

Anônimo disse...

pontuação, pra que, né?

Reflexo d Alma disse...

Ei!
Não lembro de ja ter estado aqui em seu blog...
Hunn vê de longe...
como assim?
puxa...mas
vou passear e depois volto pra comentar.
Esse texto postado me cham atenção, vou ler, observar enquanto absorvo.
Bjins entre sonhos e delírios