terça-feira, 20 de outubro de 2009

do meu diário

amigo leitor, este texto retrata uma data dolorida em minha vida e, neste dia, eu fiz um poema:

o voo da poesia

já é madrugada
a noite surge no silêncio...
com dois fones nos ouvidos
fico ouvindo umas músicas
a poesia vem aos poucos
me abraça, me ama
e deseja ter vida
ela quer ganhar asas, pernas, braços
através das mãos deste simples mortal
e o poeta é sinsível
sente vontade de chorar
vêm lembranças fortes
(neste momento estou na mesa de jantar
na sala está o meu irmão
fazendo trabalho de filosofia
sobre o manifesto comunista.
um dos meus irmãos está
na casa da namorada,
outro está dormindo;
a minha mãe também já deitou)
agora, já são quase duas horas da manhã
mas vou considerar como sábado
dia 10 de outubro de 2009.
a poesia quer ganhar asas, pernas
através das mãos deste pobre mortal.
o poeta é sensível e sente vontade de chrar.
hoje é dia 10 de outubro de 2009
justamente hoje, amigo leitor,
completam 2 anos que o meu pai partiu
ganhou asas e voou...
a madrugada tem um silêncio
muito forte e faz despertar em mim
uma saudade, um amor, uma pergunta
que a poesia procura me ajudar na resposta.
uma música entra pelo meus ouvidos
e eu voo e vou para muito longe
parece que a poesia começa a ganhar asas
o poeta ama e, na solidão do silêncio tão carinhoso,
abraça o tempo, beija o vento
e se vai
hoje é dia 10 de outubro de 2009
daqui a 2 meses se comemora
o meu aniversário - 10/12/09
o tempo pode passar
mas existem tempos que são
sempre presentes
mesmo que que seja no passado
memso que seja no futuro
pois só o presente existe

adenildo lima

Nenhum comentário: