sábado, 1 de agosto de 2009

No calar da noite

A noite caiu na calada da noite diante do sorriso de uma menina caliente. Chuva, silêncio no silenciar do olhar dela; ela parecia solitária. Estava sentada na calçada, e parecia que colhia o barulho dos passos andantes das pessoas vindo do trabalho, outras passando com companheiros, companheiras indo para as festas... E a festa da vida para aquela menina não acontecia, mas ela estava sentada, ali, na calçada esperando os lírios da noite que, às vezes, cai nos olhares solitários, pois neles, reinam o verdadeiro amor de uma mulher - no calar da noite!

adenildo lima

Um comentário:

Márcio Ahimsa disse...

no calar da noite reina uma nuvem de sonhos, e as esquinas esquecidas são relâmpagos viajantes que nos convidam a caminhar.