sábado, 23 de maio de 2009

Quase uma crônica

- O que escrever agora?
- Sei lá.

Escrever é assim, muitas vezes não sabemos o que escrever. Primeiro, eu pensei em escrever um texto sobre a monotonia da vida, depois, veio-me a vontade de escrever sobre uma bela paixão - com começo, meio... e com uma fantasia eterna, maravilhosa. Não encontrei personagens para descrever. Eu queria personagens reais, vivos, capazes de fazer o amigo leitor chorar de emoção, de alegria. Não encontrei.

- E agora, o que continuar escrevendo neste texto?
- Não sei.

Apenas não sei. Neste momento confesso que estou pensando numa crônica, porém, não sei se irá sair alguma coisa. Crônica às vezes irrita um pouco, prefiro poesia: é mais ilusória. Crônica costuma falar de coisas reais. A realidade é dura e amarga um pouco. A poesia até faz as mulheres acreditarem em amor eterno. E quem disse que existe amor sem ser eterno? A eternidade: somos nós que construímos.

- Este texto me cansa um pouco.
- Então termina.

Não posso terminar, um texto nunca termina, nunca se finda, cada leitor terá para ele o seu final.

adenildo lima

Nenhum comentário: