quinta-feira, 28 de maio de 2009

O amor e o tempo

Aos 30 anos Verônica descobriu que estava apaixonada, antes, nunca tinha sentido algo forte assim. Conversou com os amigos, com todo mundo que ela pode. Tudo o que ela falou, realmente, era sintomas de uma paixão. Ela falava que sentia algo que a deixava boba, perdida, imaginando o rapaz a todo momento. Quando ia dormir, precisava fazer alguma coisa para tê-lo nos sonhos, tudo isso com medo de ficar um tempo ausente dele. Aos 30 anos ela se apaixonou pela 1ª vez.

Ela já tinha namorado muito, vivido bastante, mas ainda não tinha sentido a inocência de uma criança: se apaixonar é voltar a ser criança - tudo bem que eu prefiro amar - mas a paixão é um fogo ardente que ajuda a temporar e temperar um relacionamento, isso, quando ambos conseguem ter um diálogo.

Aos 30 anos a vida começa, começa uma nova fase, a fase da maturidade, do olhar aguçado diante das coisas, do olhar observador - tudo bem que eu sempre digo que idade não existe - mas sei que muitas pessoas vivem sendo controladas pelos dias. A idade que eu tenho é a idade que eu ainda não vivi, então, não sei quantos anos eu tenho, o que eu já vivi, não tenho mais.

30 anos é uma idade de se apaixonar, de amar, de se entregar sem medo, afinal tudo isso não tem idade.

adenildo lima

Nenhum comentário: