segunda-feira, 11 de maio de 2009

Amor e vida

Nós, ditos humanos, temos a capacidade de pensar, de relacionar algo antes de agir. Mas uma grande pergunta que nos cerca é: para que estamos aqui?

Eu, particularmente falando, não me preocupo muito com isso. Afinal eu descobri que a vida é tudo o que vivemos - isso parece obvio - mas confesso que não é. Tomar um cafezinho pela manhã, antes de entrar na emrpesa, conversar com as pessoas que conhecemos, escrever alguma coisa sem saber pra quê, como estou fazendo agora. Isso é viver. Viver é assim, assim como o amor.

Você morre a cada dia que se passa, mas vive a cada dia que ama. Amar é esquecer as migalhas pobres da vida: Orgulho, falta de humildade, querer usar o poder para inferiorizar aos outros, isso é uma maneira de matar a si mesmo.

Sim, eu falo matar a si mesmo pois, ao meu ponto de vista vivido, a vida é a sensibilidade humana, é o carisma transmitido em um olhar, sem isso, já vejo a pessoa como um cadáver, caminhando por aí sem alma.

E quando falo alma, não me refiro a religião, como o amigo leitor já sabe: eu não tenho partido nem religião e deixei de acreditar em tudo para acreditar apenas no amor.

Sim, apenas no amor.

Amar é esquecer que existe uma resposta para as perguntas. Amar é viver e viver é amar, sem isso, somos meros ambulantes por aí caminhando.

adenildo lima

Nenhum comentário: