segunda-feira, 13 de abril de 2009

O silêncio de um olhar

Têm sentimentos que não se explicam, têm momentos que não se definem, têm horas que são um tempo e existem tempos que duram mais de uma hora, e não esperamos que uma hora acabe. Lembra quando eu te falei que sua falta me faz falta? Talvez você já tenha esquecido. Mas eu ainda lembro, lembro o momento em que sentamos na calçada e você abriu o peito e dele só saiu amor, enquanto dos seus olhos saíam água que demonstrava bem mais do que muitos livros escritos. Eu não esqueço os pequenos momentos da vida. Ainda lembro que foram apenas 10 minutos de conversa, mas você chorou, mas você riu, mas você disse: eu te amo! e não precisava de mais nada, eu não precisava ouvir mais nada de você... ali, você começava a se tornar eterna em minha vida... quando se ama alguém todo o mundo cabe num simples olhar, num simples aperto de mão, num simples abraço... os pequenos momentos são eternamente eternos... Agora olho as estrelas e te abraço... vejo a infinitude da vida.... e como eu te amo... acho que você não tem mais dúvida disso...
Mas eu gostaria que você soubesse que aquela calçada nunca existiu, que aquelas lágrimas nunca existiram, na verdade, era eu que queria chorar minhas dores diante de você, e só você podia ouvir aquilo, mas ainda não estava preparada para enxugar as lágrimas de rapaz tão vivido, feito criança diante de você... e quando tudo acaba e só enxergamos uma pessoa em nossa frente algo declara que aquela pessoa faz parte do seu mundo... e assim nos amamos.... Quando amamos, o mundo se resume num simples olhar...

adenildo lima

Nenhum comentário: