segunda-feira, 20 de abril de 2009

Imaginações de uma metáfora

Imagino. Imagino-me tirando sua roupa com a sutiliza dos dedos, sentindo a sua pele suada, molhada, salgada... com os lábios. Imagino. Imagino-me falando ao seu ouvido o quanto é bom estar com você, o quanto te amo, o quanto um segundo representa uma eternidade. Imagino. Imagino-me sem horas e sem tempo sempre ao seu lado. Imagino. Imagino-me aos poucos tendo o seu corpo diante dos meus olhos, assim, como parte integrante da natureza que beleza. Reveja que eu não te quero apenas para o prazer. Quero-te para amar, e que o prazer seja consequência do nosso amor. Quero. Quero-te natural afinal qual e quais palavras vão expressar o nosso abraçar amar se entregar...? ... Imagino. Imagino-me nossos corpos entreguem sem vergonha, pois quem ama não se acanha.

adenildo lima

Um comentário:

Márcio Ahimsa disse...

Quem ama,
não se acanha.
Quem ama
é pura manha
de viver.

Abraços, amigo Adê.