segunda-feira, 16 de março de 2009

Um segundo apenas

Por alguns dias, ou por algumas semanas, ou por alguns meses... ficarei ausente, ainda não sei, mas preciso.... abraços!

adenildo lima

Caminhos crespos, e doce!

O medo é a derrota de quem nunca teve a coragem de conhecer a vitória.

adenildo lima

sexta-feira, 13 de março de 2009

Só se ama uma vez?

A palavra amor é infinita, disso não tenho dúvida, quanto mais falo, mas tem caminhos para serem traçados nessas linhas que nunca resumem o sentir amar.

Muitas coisas eu não concordo, quando se trata desse sentimento. Vejo milhões de pessoas presas a um passado que ela mesma acreditava que fosse eterno. Não vejo assim: não é pelo simples fato de me sentir bem ao lado de alguém, que aquele alguém precisa ser meu para o resto da vida.

É tão complicado falar desse assunto (a poesia não se perde, ela apenas se converte nas mãos do tambor). Amar é se entregar, mas quando ficamos presos num passado, acreditando que nunca mais vamos encontrar alguém como aquela pessoa que encontramos um dia, que nos dava bom dia, antes mesmo do sol nascer, e já sabia o nosso mau humor, antes mesmo de acordarmos. Breviamente, não vamos encontrar mais, pois enquanto estivermos presos a uma corrente, ou nos afogamos no mar, ou não conseguimos atravessá-lo.

Eu vejo o amor como uma semente, uma semente que muitas vezes nasce no próprio lajedo enfrentando tempestades, vendavais. Mas é necessário que estejamos abertos para o amor - amar é uma descoberta infinita, onde nunca devia existir um começo, ou um fim.

Pensar que nunca mais vou amar por que um dia amei sem explicação e sem definição, aquela menina dos olhos verdes, seria me transformar em escravo de mim mesmo, de um sentimento tão lindo que posso viver eternamente, e descobrir a cada dia que ele é tão livre quanto o vento, quanto o sol que nos aquece, quanto a lua que nos suaviza.

Eu amei, amei sim, amei como nunca dantes, mas descobri que posso amar todos os dias bem mais do que amei, pois quando estava amando-a estava aprendendo ainda mais a amar. E hoje, qualquer namorada que eu arrumar, vou amá-la bem mais, bem mais... ao contrário, amarraria uma corda no pescoço e pularia no mar, por me sentir incapaz de mais uma vez amar.

Amar é nunca buscar uma resposta, é apenas viver. Isso basta!

adenildo lima

quinta-feira, 12 de março de 2009

A arma

A revolta que sinto contra toda essa desigualdade em que vivemos, não entendam como ódio, é a minha maneira de expressar o amor que, para mim, é a única arma que tenho.

adenildo lima

quarta-feira, 11 de março de 2009

Diante da morte

(História verídica)

Uns gritos surgem, enquanto leio alguma coisa sobre a África, uns gritos desesperados. Pensei: África! Não, é Brasil mesmo. Um senhor, diante da morte, grita pela vida, desesperado, coloca a mão sobre a ferida, onde foi esfaqueado "Quero ver meus filhos' 'não, não ... não quero morrer".

A morte ali presente, olho no olho, ele temendo a todo momento grita pela vida, grita pela família. Alguém aparece com urgência e lhe socorre. Já desmaiado, é posto no carro.

Dia seguinte.

"onde tá seu irmão?"
"tá no hospital"
"você não vai olhar o papai?"
"criança não pode".
"ah...."
"mas papai vai voltá"

adenildo lima

terça-feira, 10 de março de 2009

Ausência

Você reclama da minha ausência, mas quero que saibas que não estou tão longe assim: neste momento as palavras são poucas para expressar este sentimento, por isso estou contigo aqui em meu silêncio, tendo-te, como te imagino!

adenildo lima

segunda-feira, 9 de março de 2009

fotografia e imagens

as madrugadas. quem não gosta, delas? elas me abraçam, me beijam, e até diz que me amam. e justamente quando abri a janela, observando a aquarela, lembrei de marcela, ela se foi, me deixou, sabia? nem disse pra onde ia. um vento suave me abraçou para falar de amor, mas foi noutra madrugada. o vento era carinhoso, e como criança, joguei-me aos seus braços, e a madrugada me abraçou, me beijou; até lembrei do amor que não se foi, mas triste mesmo foi olhar a aquarela, com fotografia de marcela. ah, e marcela era tantas elas. ela que vinha, que se despia diante de mim, e tão viva me fez contemplar a obra mais perfeita da natureza, tão bela, em corpo e alma, até acreditei que fosse marcela. marcela, quem me dera, ela: tão linda e tão bela. tão simples, quanto este texto: sem letras maiores ou menores. e quando olho a aquarela, não lembro mais de marcela, penso mesmo é em você, e a sua fotografia é viva em minha mente, simplesmente.

adenildo lima

Tudo é festa

A tarde de domingo, com seu sol brilhante e aquecedor, desperta nas pessoas o desejo de estarem juntas em determinados lugares, e tudo é festa.

No palco, alguém leva a voz para milhares de pessoas: todos pulam, dançam, esquecem as dores, e tudo é festa. Enquanto os andantes pisam com os pés, o mesmo, lá no palco com sua bela voz, numa cadeira de rodas deixa claro que a mente é quem nos faz caminhar.

Na plateia, os rostos felizes se despertam, enquanto ao lado, a menina bebe coca cola e em outros lugares, alguém cheira cola (não sei talvez). E nos olhares, cola uma ideia de uma visão despreocupada e livre. A ex-namorada com seu namorado atual olha para o rapaz e um sorriso desperta lembranças, por parte dela, mas o passado naquela tarde de verão não verá lembranças: lembrança é uma palavra que não existe, mesmo que ela persista.

Despreocupadamente recebe um beijo na boca de uma mulher desconhecida: linda, jovem e charmosa, mas o beijo não cola, e o rapaz, do outro lado, prefere obsevar a coca cola, já que ela é universal, ele acredita que tudo cola.

E as máquinas fotografam os rostos felizes, e como lembranças serão vistas amanhã, mas amanhã é um lugar distante, e é preciso viver flashes da máquina enquanto os lábios estão felizes, e as máquinas se divertem.

E no final de tudo, a vida olha no espelho, e ele percebe que ela é tão complicada para se entender, quanto este texto. Mas o úlitmo sorriso da noite, nos lábios daquela menina, ainda deixa esperança para uma felicidade dos olhares perdidos dos jovens apaixonados.

E se formos observar: qual a diferença de cola e coca cola?

adenildo lima

domingo, 8 de março de 2009

Mulher

Mulheres, parabens!!! eu amo vocês todas. rs...

Bela flor
o mais belo
símbolo do amor
mulher,
em teu parecer
sempre uma nova alma
a nascer.

parabens pelo dia de hoje.

adenildo lima

Ação afirmativa

No Brasil, milhões de pessoas são contra à "Cotas para negros". Primeiro, é a grande parte da elite brasileira; segundo, entra as pessoas que não estudam referente ao tema e por assim ser, metem o pau.

Partindo de um pressuposto de pesquisas feitas pelo IBGE e o Ipea, em 2001.

- Do total dos universitários brasileiros, 97% são brancos, sobre 2% de negros e 1% de descendentes de orientais.
- Sobre 22 milhões de brasileiros que vivem abaixo da linha da pobreza, 70% deles são negros.
- Sobre 53 milhões de brasileiros que vivem na pobreza, 63% deles são negros (Henriques, 2001).

Antes, é preciso saber que o Brasil não é o primeiro país do mundo a adotar a política de ação afirmativa. Primeiro vieram os Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, Índia, Alemanha, Austrália, Nova Zelândia e Malásia, entre outros.

Os Estados Unidos implantou desde a década de 60. O Brasil, como sabemos, demorou um pouco mais ... mas estamos aí, e assim mesmo, temos uma luta muito forte, até mesmo para provar para os incrédulos advogados que isso não fere A constituição pois, nenhum ato humano que lute para pôr a sociedade menos favorecida à igualdade e ao acesso escolar que os brancos têm, está indo contra a Constituição, ao contrário, num país democrático se prega a igualdade. Como foi visto na pesquisa, a igualdade está muito desigual, e vocês doutores advogados que, muitos, fazem questão até para serem chamados de doutor, sem nunca terem defendidos uma tese de doutorado, deveriam estudar um pouco mais, para falar do assunto.

E, diante dessa pesquisa "deduz-se que, se por um milagre os ensinos básicos e fundamental melhorassem seus níveis para que os seus alunos pudessem competir igualmente no vetibular com os alunos oriundos dos colégios particulares bem abastecidos, os alunos negros levariam cerca de 32 anos para atingir o atual nível dos alunos brancos. Isso, supondo que os brancos ficassem parados em suas posiões atuais esperando a chegada dos negros, para juntos caminharem no mesmo pé de igualdade".

Deixando claro, isso é devido a todo o sistema político imposto. Diante deste breve resumo, tendo como fonte o Professor Kabengele - da USP, fica claro que precisamos lutar o mais rápido possível para fazer com que a nossa democracia possa ri feliz da nossa igualdade entre brancos, negros...

Desigualdade mesmo é não poder andar na mesma calçada que um branco anda. E isso está mudando.

adenildo lima

Teus braços

Mesmo que eu corra, caio sempre em teus braços, pobre escravo desse amor é que eu sou, mas teu abraçar é carinhoso, teu beijo é gostoso, e a tua pele cheirosa. Pensando assim, você é um bom acalento.

adenildo lima

terça-feira, 3 de março de 2009

O útil inútil

Andando por dentro de uma biblioteca de uma grande Universidade aqui de São Paulo, fiquei perplexo, primeiro pela beleza. Uma amiga tinha falado tão bem que na hora do intervalo de aula eu fui confirmar, já que sou novo lá.

Tem um setor que tem tanta TESE, isso me impressionou, impressionou tanto que fiquei perguntando: para que servem essas teses? aí, em seguida descobri, é para isso que 99% dos intelectuais do nosso país servem: estudam, se doutoram, depois guardam os estudos na biblioteca e colocam o diploma para esconder a face.

Sinceramente, ainda não vi essas teses de tantos estudos e pesquisas, servindo para o bem-estar da sociedade menos favorecida. Se alguém conhecer, por favor...

Tenho um carinho enorme pelos autodidatas!

adenildo lima

Lembranças do que não aconteceu

Olhando suas fotos, senti saudades do beijo que não aconteceu. Os teus cabelos longos por cima dos ombros, o teu corpo esquelético, o teu olhar desejante... fazem-me sentir saudades. Às vezes no corredor da Universidade, ao me encontrar, dava um abraço tão forte "..., você é meu anjo". Sua voz suave me excitava, e o meu desejo louco de tê-la, era mais louco do que as reações químicas do corpo. Eu desejva você solteira, te desenhava na mente; alguns amigos pediam que eu fugisse o mais rápido possível, e tudo isso me impediu do beijo que sinto saudades ao olhar suas fotos.

Lembro também quando você me viu com uma jovem - mais bonita do que você, confesso - sua fisionomia mudou, seus lábios tremeram; estávamos dentro da sala de aula. Você pegou seu material escolar, e se foi: brava, nervosa. Ainda lembro. Quantas vezes você sentou ao meu lado só para dizer que eu era o seu anjo, e diante de sua frase eu tinha medo de perder minhas pequenas asas. O tempo passou, marcamos um cinema, no dia, eu desisti. Mas eu fiz certo, você tinha alguém. Hoje, está tão bem com ele, e há seis meses não nos comunicamos, mas hoje eu olhei sua foto para sentir saudades dos beijos que não aconteceram.

Lembro também quando ironicamente você perguntou: "Que porra você faz pra ter tanta mulher ao seu lado?" sorri, olhei-a carinhosamente, e dei um beijo molhado em sua face, e saí.

As lembranças permanecem, mas não me arrependo de nada, se eu não quis, fica claro que naquele momento não era bom para mim. (às vezes, preservar a vida é bom rs).

"É, Vinícius, concordo com você".

adenildo lima

segunda-feira, 2 de março de 2009

Enquanto nós nos amávamos

Enquanto todos dormiam, nós nos amávamos: os abraços apertados, os corpos suados, os beijos molhados; enquanto o mundo lá fora se atropelava, nós nos amávamos: construíamos nosso mundo, nosso mundo de prazer movido com razão e emoção, deixávamos de sermos dois e nos tornávamos eternamente em um: Nós nos amávamos! ainda lembro, você como criança em meus braços, estávamos entregues. Quando se ama não há timidez nem vergonha, a confiança é mútua e a entrega é total. Bom mesmo foi que o nosso amor não acabou com o orgasmo, o prazer apenas deu abertura para nos amarmos mais: nos abraçamos, nos beijamos... enquanto nós nos amávamos!

Amar é esquecer que existe uma definição, é viver!
E descobrir!

adenildo lima

É março

Pessoal, agradeço a todos que visitam, que leem esta página. Meu muito obrigado!

É março
E parto
Sem partido
Para novos textos
Surgirem.

adenildo lima