domingo, 1 de fevereiro de 2009

Solta no parque

Solta no parque, te vi caminhando lentamente, com os braços abertos, beijando o vento. Lembrei dos meus sonhos: milhões de vezes tive este mesmo sonho (não acredito em sonhos, mas sempre acreditei em um momento nosso, único, e eu e você, você e eu.

Solta no parque, os flashes passavam diante de mim, eu lembrava cada momento sonhado (eu sempre te amei). Tive raiva do vento ao vê-lo te levando e, eu não pude mais encontrar a realidade. Eu quis chorar, e até hoje, ainda choro os teus abraços apenas sonhado. Solta no parque, ainda lembro você caminhando lentamente.

adenildo lima

Nenhum comentário: