quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Nauseando

O tempo...

Há quem pergunte quem é o tempo. Principalmente quando paramos para pensar sobre a náusea que é a vida pós-moderna.

Acordamos pela manhã, e muitas vezes nem sobra um tempinho para olhar para o espelho e dizer: você é muito importante! E numa correria louca corremos para um ponto de ônibus, ou uma estação de metrô, de trem.

O pós-modernismo nos arrancou os relógios. Pior, em troca nos deu um celular. E as pessoas saem como esquizofrênicos com fone nos ouvidos, conversando. Na primeira vez que vi, me assustei. uma moça estava batendo os lábios e fazendo gestos. Pensei: ela tá chapadona!, pirou de vez. Mas ao olhar descobri que o celular dela era moderno e carregava fone nos ouvidos, não apenas para rádio, mas também para se comunicar.

E o tempo, onde fica diante de tudo isso?

Não sei se neste momento estou nauseando, mas quem já parou pra pensar na inutilidade que é a vida? Acorda pela manhã, sai às loucas para o trabalho, volta à noite, cansado, nem sobra tempo para abraçar os familiares, na maioria das vezes. Muitos vão estudar, chegam em casa meia-noite, na maior correria, comem alguma coisa, tomam banho, fazem trabalhos escolar, olham para o relógio/celular: 2h da madrugada. Deitam apressadamente, dormem 3,4, 5 horas... e volta tudo de novo.

O que precisamos fazer é aproveitar a vida. Deixar alguns minutos que podemos estar com amigos, namorando, passeando... para ficar se planejando para o futuro? onde está o futuro?

Tudo isso que escrevi, acredito que se resume apenas em aproveitar a vida, sem sermos escravos dela, e ser escravo dela é deixar de viver para si mesmo. E isso não quer dizer que vamos deixar de trabalhar, estudar, namorar, passear...

Acho que é isso... também não sei.

Adenildo Lima

3 comentários:

Cris Animal disse...

"Quem sabe faz a hora, não espera acontecer..."

Essa mpusica deu o que falar na década de 70. Gente foi morta e torturada. Era a época da repressão. Deveriam ter ouvido mais o que professores, estudantes, gente do povo tentava dizer, acho que hoje, não estaríamos assim: loucos.
Há uma chance: faça sua hora acontecer. Custe o que custar. certas coisas, não têm preço: o abraço em quem se ama, o tempo para um papinho, a leitura de um bom livro e por ai vai.....
Beijo pra vc
..............Cris Animal

G. Borges disse...

Heey cara, você parece cansado.
Ver grandeza nas coisas simples, é a melhor saída para o estresse cotidiano!
Assim conseguimos alegria na correria ;)
Aprendi na prática.

Nos vemos por aí;)
Beijos!

Mai disse...

Oi, querido.
Vim retribuir a tua visita ao 'inspirar'.

Carpe Diem... É o proveito do dia e desejas aproveitar a vida em tudo o que ela tiver de melhor.
E é isto mesmo.
Há tantos absurdos na vida e todos promovidos pela humanidade em sua 'desumanidade' que onde se puder investir na vida, isto é mesmo urgente.

Belo post.
Volte sempre àquele espaço que é dos amigos.

Grande abraço,

Mai