terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Quem sou eu?

"Quem sou eu?
Que importa quem?
Sou um trovador proscrito
Que trago na fronte escrito
Esta palavra — Ninguém!"
(Luís Gama)
Partindo das palavras deste grande homem, brasileiro, herói... me identifico com a sua descrição. Sou um ninguém, disso nunca tive dúvida, mas no interior de minha alma carrego a essência para ser aquilo que preciso, desde que não seja ruim. Também me vejo como um espelho, posso ser um pouco do seu reflexo, se me amas, também vou te amar, se não me amas, também não vou te odiar. Sou ninguém que aos poucos vai buscando identidade diante das dificuldades, diante do seu carinho, diante das resistências, oferecidas, na maioria das vezes, por pessoas próximas, pelo regime capitalista. Sim, Luís Gama, trago no rosto escrito esta palavra ninguém, mas dentro de mim, é assim, um livro, às vezes escrito, noutras vezes, vamos escrevendo juntos uma história nossa.
adenildo lima

3 comentários:

Gessica Borges ( Gessica 2 ) disse...

Você ainda é estranho à mim .
Às vezes é como se você nunca se sentisse sozinho, outrora é como se nunca tivesse alguém..
É frustrante até, parece que nunca vou descobrir o que te faz realmente bem. Você é uma máscara pra mim ..
Esqueça o sentido popular de ser "mascarado" , não tem nada negativo na minha, ainda pequena, relação com você...
Eu gosto da sua máscara, se é que você me entende.

A gente se encontra por aí ;)

Beijo.

P.S. : Criei um texto bobinho hoje , queria a sua opinião e crítica e correção, rsrs
me passa seu e-mail ?

g.cborges@bol.com.br

Sam disse...

"Posso imaginar-me tudo, porque não sou nada. Se fosse alguma coisa, não poderia imaginar. O ajudante de guarda-livros pode sonhar-se imperador romano; O Rei de Inglaterra não o pode fazer, porque o Rei de Inglaterra está privado de ser, em sonhos, outro rei que não o rei que é. A sua realidade não o deixa sentir" (Fernando Pessoa)

Olá moço, percebi que pisou em meu chão e por lá plantou palavras boas.

Espero que tenha se sentido acolhido e que retorne lá em casa sempre que assim for o seu desejo, pois sua presença já é muito bem-vinda.

Saiba, gostei daqui. Há uma originalidade e eu, me identifiquei com sua caneta!

Voltarei então,

Um até breve dessa sua amiga desconhecida desse nosso mundo de escritores e poetas.

Abraços, flores e estrelas...

Cris Animal disse...

Somos um em muitos. Muitos em nenhum. Eis a solidão de SER. Somos andarilhos na vida. Ora caminhando juntos, ora sozinhos. Definir é criar limites, não é?
Melhor deixar e esatr sendo....rs
Post lindo!
Beijo enorme pra vc
...............Cris Animal