sábado, 20 de dezembro de 2008

O mundo editorial

O mundo do comércio tem lá seus ditos e ditados, segue seu percurso conforme a exigência comercial. Ontem uma amiga me perguntou: mas qual editora vai publicar seu livro no próximo ano?

(Esse livro, Ela se referia a um projeto meu e do poeta Márcio Ahimsa). Disse, nenhuma editora, nós não precisamos de editoras para levar nossa poesia, se eles quiserem, venham a nós, nós não!!!

É melhor vender 100 Exemplares de um livro e poder falar, conforme em que acredita, a vender um milhão e perder o direito a sua voz. Um homem sem a fala é um robô controlado pelo sistema, por um controle remoto.

O mundo editorial é lindo, é maravilhoso... afinal, faz livros para serem trabalhados nas escolas, para serem lidos nos transportes públicos (que por sinal é vergonhoso em SP), e lendo conseguimos enganar o aperto aperta da sardinha enlatada. A única coisa que mata o meio editorial é o capitalismo. Existe guerra mais poderosa do mundo do que o capitalismo?

Enquanto isso sigo o meu caminho, caminho espinhoso mas gostoso.

adenildo lima

Um comentário:

Rosana disse...

No fundo .. no fundo ... tudo sempre vale alguma coisa! Nada é por acaso ... tudo tem seu mistério ... suas descobertas e seus ensinamentos!