terça-feira, 30 de setembro de 2008

Uma cama e um sonho

O relógio marca meia noite, e já cai a noite. Escuto Lenine "É o que me interessa". Você, possivelmente, esteja dormindo, deitada em sua cama, mas eu estou aqui, acabo de chegar da escola, depois de 5 aulas. ÀS 5:30 vou me levantar. Talvez eu sonhe contigo, acho que não. Você dorme, mas eu te acordo. Você permite? Acho que você tem medo de se apaixonar por mim, fugiu de repente. Não foge, eu nunca fui apaixonado por você, apenas te admirava, queria estar ao seu lado. Te acho muito bonita, meiga; seus cabelos são tão lindos! às vezes eu acho que até estou apaixonado por você, mas ao mesmo tempo, acho que não terei coragem de falar. Na verdade, acho que você nunca existiu, o bom de escrever é que podemos criar e inventar personagens. Você leu meu e-mail? Nossa! mas também não lembro se escrevi, desculpa!

Por Adenildo Lima

2 comentários:

Rosana disse...

O silêncio da noite e um poeta descobrindo milhões de sentidos e sentimentos ... é assim que te defino. Dizem que poetas criam e brincam com as palavras ... sentem, mas não se envolvem. Sofrem, mas sofrem calados. Inventam personagens para poder sentir viva a chama da paixão e da ilusão! É assim que te vejo quando leio o que escreve : horas passam e o poeta continua ali pensando e pensando ...

julia disse...

O prô tá apaixonado.