quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Apenas por amor

Ela apagou a lâmpada da sala, deixou apenas a luz do abaju, veio lentamente em minha direção, deixou cair a blusa de frio, exibindo-me os seios pontudos e atraentes. Tentei disfarçar, fiquei meio sem graça; estava diante de uma amiga.

- Quanto tempo esperei por este momento, Júlio.
- Ham...
- Eu sempre fui apaixonada por você. Quem mandou você ser o meu melhor amigo?

Pegou minha mão fortemente, acariciou, senti seu coração bater as batidas da paixão, fiquei sem querer acreditar, mas ela me excitava a cada momento.

- Mariana, você tem certeza disto? você é comprometida...
- Relaxa, Júlio, todos nós temos o direito de lutar por aquilo que queremos. Estou errada?

A paixão foi tomando conta, o prazer foi nos domando e nos amamos como nunca dantes.

Por Adenildo Lima

2 comentários:

Marcela disse...

É! Geralmente o amor caminha de mãos dadas com a amizade e nem percebemos isso não é mesmo? Dizem que é da amizade que nasce um verdadeiro amor. Será????

Rosana disse...

Amor e paixão pelo proibido! Por que será que nos apegamos tanto a esses sentimentos? Será que andamos tão solitários e carentes a ponto de nos entregarmos por inteiro a essas necessidades fisiológicas? Será que é a busca e a prioridade de nos sentirmos vivos e presentes que nos arremessa a esse vendaval de amor e paixão?! Não sei ... Só sei que o importante é aproveitarmos o momento, o hoje, mesmo que para isso tenhamos que viver para poder lembrar mais tarde!