sábado, 26 de julho de 2008

Não sou tão velho assim...

Adulto, não me chame de adulto. Dentro de mim - há uma criança. Não sou mulher, mas estou sempre grávido; grávido do amor. Os adultos são pessoas ruins e destroem o mundo, gostam de guerra; eu não gosto de guerra, e muito menos, consigo entendê-la.

Não consigo entender o ódio carregado no olhar das pessoas mais velhas, eu não sou tão velho assim, para não poder olhar com os olhos de uma criança. Não sou individualista, mas procuro não ser igual a todos. Se numa multidão de um milhão você levantar a voz, deixa de ser apenas mais um naquela multidão e passa a ser a pessoa que mostrou seus ideais.

Um/a leitor/a do meu blog pergunta quem é Pedro. E eu sei lá quem é Pedro! Só sei que ele ama muito e, se acham que ele parece comigo, tudo bem, fico feliz. Triste é olhar no espelho e não conseguir enxergar a sua própria face. Que bom seria se todos nós se identificassem com todos aqueles que amam.

Mas lembre-se, você não é capaz de amar se não se amar. Só damos o que temos, tirar dos outros é roubo. Mas não me chame de adulto, eu não sou tão velho assim pra não ter mais o olhar de uma criança.
Por Adenildo Lima

Um comentário:

Rosana disse...

OI ... somente se considera velho aquele que acredita que não há mais porque crer na vida e ter esperanças. Conservamos o espírito jovem se aceitamos que cantar, sorrir, dançar, viver e amar são sentimentos simples e naturais que nos tornam livres e felizes , independente de idade ou não!