domingo, 27 de abril de 2008

Ser culto ou conhecer a cultura de um povo

À noite, passeando nas ruas do centro da cidade de São Paulo, na famosa Virada Cultural, a madrugada estava repleta de pessoas. Tinha shows em cada esquina. Primeiro eu fui ao show do grande Tom Zé, lá na Casa das Rosas, na Paulista. Um artista que com a sua inteligência humorística ironiza a desigualdade social de uma forma tão bem trabalhada. Ironiza os intelectuais, a falta de visão deles diante das coisas, ironiza a burguesia com a sua liderança capitalista, com a sua ignorância preconceituosa... e como respostas, o grande Tom Zé recebe palmas da mesma elite ironizada por ele.

Saindo dali, junto com parentes e amigos fomos ao Show do Zé Ramalho, tinha tanta gente, tanta gente... Impossível assistir ao show. Nas ruas, a maioria dos jovens de classe média alta, estava sentado nas calçadas, e a maioria drogado! Mas como era um movimento culto, uma virada cultural; os ricos podiam ficar a vontade, podiam até deitar na cama dos mendigos, sem terem nojo, afinal, era culto.

E os ricos adoram ser vistos como cultos.

Os mesmos que discriminam os Nordestinos, os mesmos que têm nojo dos mendigos nas ruas e tentam sempre fechar os olhos para não vê-los, batem palmas para artistas como Caetano Veloso, Maria Bethânia, Zé Ramalho, Tom Zé, Raul Seixas, Graciliano Ramos, Jorge Amado, entre tantos outros.
   
Quando um pobre usa droga é bandido, agora um rico é chique, é moderno. Quem disse que existem bandidos na classe média alta... os bandidos estão na favela, né? Eu me pergunto: por que os políticos usam terno e gravata – é chique, é moderno, fazem parte da cultura da elitizada...

E o que muitos políticos fazem?

“Porcos num chiqueiro
São mais dignos que um burguês
Mas também existe o bom burguês
Que vive do seu trabalho honestamente
Mas este quer construir um país
E não abandoná-lo com uma pasta de dólares”.
(Cazuza/Ezequiel Neves/George Israel)

E cantando ao vivo o Cazuza acrescenta “eu também sou burguês, mas sou artista, estou ao lado do povo”.
O que é ser culto, afinal?
 
Adenildo Lima

Nenhum comentário: